Xeroftalmia Corrente PI

Informações sobre Xeroftalmia em Corrente. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Xeroftalmia e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Corrente.

Centro Médico Correntino
(89) 3573-1483
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Climecor
(89) 3573-1123
Rua Antônio Nogueira Carvalho 1147
Corrente, Piauí
 
Clínica Santa Isabel
(86) 3220-1717
Qd 144 - Cj Prq Piauí 5
Teresina, Piauí
 
Clínica da Tireoide
(86) 3226-5175
Rua Anísio de Abreu 162
Teresina, Piauí
 
Clínica de Urologia e Ginecologia S S
(86) 3223-1071
Rua Gabriel Ferreira 574 s 1
Teresina, Piauí
 
Policlínica de Corrente
(89) 3573-1851
Avenida Desembargador Amaral 1675
Corrente, Piauí
 
Hospital Estadual e Regional D
(89) 3573-1465
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Clínica Santa Regina Clínica S
(86) 3293-1112
Rua Amarante 820
Regeneração, Piauí
 
Clínica Saúde da Mulher Raimunda Batista
(86) 3221-5408
Rua Gabriel Ferreira 574
Teresina, Piauí
 
Ozael Ferreira dos Santos
(86) 3221-1128
Rua Magalhães Filho 476
Teresina, Piauí
 

Xeroftalmia

A deficiência da vitamina A no organismo provoca nos olhos uma doença denominada xeroftalmia, conhecida popularmente como ceratoconjuntivite seca ou “olho seco”.Essa desordem faz com que as glândulas ópticas sejam obstruídas e não consigam produzir normalmente a secreção lacrimal, que tem a função de lubrificar o globo ocular. Em consequência disso, estruturas importantes são afetadas, tais como a córnea e a conjuntiva, que se apresentam desidratadas e atrofiadas. Também pode ocorrer o surgimento das manchas de Bilot, que são manchas brancas ou acinzentadas na superfície da esclerótica (parte branca do olho).A xeroftalmia também pode estar relacionada à Síndrome do Sjögren, uma doença autoimune na qual as células de defesa do organismo acometem e destroem as glândulas exócrinas, responsáveis pela produção da lágrima.Sem a lubrificação adequada dos olhos, são comuns algumas situações incômodas tais como a sensação de areia nos olhos (secura), peso nas pálpebras, visão embaçada, esforços para enxergar perfeitamente, avanço da sensibilidade à luz e vermelhidão dos olhos. Esses são os principais sintomas da xeroftalmia.O diagnóstico é dado com base nos sintomas não só da doença, como também da avitaminose. Os sinais da deficiência de vitamina A são cegueira noturna, danos na pele, alterações no paladar e dificuldade de cicatrização. A visão é a mais afetada, sendo possível a perda parcial ou completa.O tratamento da xeroftalmia varia conforme a sua causa. Se a doença for consequência de uma deficiência de vitamina A, é necessário identificar a origem dessa avitaminose (baixo consumo, má absorção da vitamina pelo organismo). Nesse caso, são ministradas doses da vitamina de acordo com o peso do indivíduo, além, é claro, do consumo de alimentos ricos em vitamina A, como, por exemplo, cenoura, vegetais verdes folhosos, abóbora, batata-doce, milho, pêssego, nectarina, gema de ovo, manteiga, fígado e outros.Quando a xeroftalmia se deve a doenças como a Síndrome de Sjögren, é necessário tratar a doença de base. No caso dessa síndrome, não há tratamento específico e sim um tratamento dos sintomas, com medicamentos, colírios (lágrimas artificiais) e antiinflamatórios. Não existe cura para a Síndrome de Sjögren.Mais importante do que o tratamento é a profilaxia. Adicionar à dieta alimentos ricos em vitamina A e evitar a exposição dos olhos a agressões externas (partículas suspensas no ar, vento, ambientes secos) são ações importantes para a prevenção de doenças oculares.Referênciashttp://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/deficiencia-de-vitamina-a-xeroftalmia/http://www.cienciadasaude.com.br/index2.php?option=com_docman&task=doc_view&gid=63&Itemid=240