Vaginismo Sumaré, São Paulo

Informações sobre Vaginismo em Sumaré. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento do Vaginismo e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Sumaré.

Audclin Clínica Médica
(19) 3883-5187
Rua Ipiranga 520
Sumaré, São Paulo
 
Instituto Médico Monte Sinai
(19) 3873-1705
Rua Dom Barreto 945
Sumaré, São Paulo
 
Med Center
(19) 3873-3661
Rua Dom Barreto 1131
Sumaré, São Paulo
 
Ambulatório de Especialidades
(19) 3803-9000
Avenida 3 M 50
Sumaré, São Paulo
 
Cote Clínica de Ortopedia Traumatologia e Especialidades
(19) 3883-5699
Avenida Júlia Vasconcellos Bufarah 1251
Sumaré, São Paulo
 
Clínica Barel
(19) 3883-3292
Rua Dom Barreto 1068
Sumaré, São Paulo
 
Clínica Ipiranga
(19) 3828-2412
Rua Ipiranga 198
Sumaré, São Paulo
 
Med Life
(19) 3828-8679
Rua Dom Barreto 982
Sumaré, São Paulo
 
Centro Clínico Pupo Silveira
(19) 3873-2889
Rua Luiz José Duarte 481
Sumaré, São Paulo
 
Pró Consulta Especialidade Médica
(19) 3873-5436
Rua Antônio do Valle Melo 1145
Sumaré, São Paulo
 

Vaginismo

Vaginismo é um distúrbio da sexualidade feminina, extremamente raro, que pode chegar a impedir por completo a relação sexual. É descrita como uma síndrome psicofisiológica que apresenta como característica fundamental a contração involuntária, recorrente ou persistente da musculatura do períneo adjacente ao terço inferior da vagina, quando tentada, prevista ou imaginada a penetração vaginal com pênis, dedo, tampão ou especulo.A contração varia desde leve, gerando alguma tensão e desconforto, até severa, impedindo completamente a penetração, sendo que em certos casos essa contração é tão intensa que provoca dor. No entanto, uma mulher com vaginismo pode manter normalmente suas demais respostas sexuais como, por exemplo, desejo, prazer e capacidade orgásmica, desde que não seja tentada ou prevista a penetração.Este distúrbio está associado com o medo da dor numa espécie de ciclo vicioso: o medo, geralmente inconsciente, leva a mulher a contrair fortemente a musculatura pélvica em momentos relacionados ao sexo. Esta contração torna a tentativa de penetração dolorosa, sendo que a dor gera mais medo, o que resulta em maior contração e, consequentemente, mais dor.Aproximadamente 5% das mulheres apresentam um grau elevado de vaginismo. Não existe uma causa geral, mas normalmente há um fundo emocional. Pode acontecer em mulheres que sofreram algum abuso sexual, repressão da sexualidade e naquelas que tiveram uma primeira relação sexual dolorosa ou traumatizante.O tratamento recomendado para o vaginismo é a psicoterapia, que tem por objetivo ampliar o auto-conhecimento. Quanto maior for o conhecimento da mulher sobre ela mesma, seu corpo, sua forma de lidar com o mundo, mais preparada ela estará para vivenciar sua sexualidade.Outro ponto importante durante o processo psicoterapêutico de uma paciente que tem vaginismo é procurar facilitar a ampliação de seu conhecimento em relação a sua reação ao próprio medo, a como funciona seu corpo e, especialmente, a como realiza suas contrações vaginais. Quanto maior sua consciência acerca das contrações, mais controle tem sobre elas.Fontes:http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?445http://www.marcelomarcia.na-web.net/Vaginismo.htmlhttp://www.perineo.net/conteudo/vaginismo.phphttp://www.copacabanarunners.net/vaginismo.htmlhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Vaginismohttp://adam.sertaoggi.com.br/encyclopedia/ency/article/001487.htmhttp://cyberdiet.terra.com.br/vaginismo-o-problema-desconhecido-5-1-4-329.html