Tumores benignos dos tecidos moles Santa Rita, Paraíba

Informações sobre Tumores benignos dos tecidos moles em Santa Rita. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento de Tumores benignos dos tecidos moles e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Santa Rita.

Clínica Santa Rita
(83) 3229-1140
Rua Francisco Gomes de Azevedo 2
Santa Rita, Paraíba
 
Policlínica São Roque
(83) 3229-0400
Avenida Flávio Ribeiro Coutinho 264 ap 1
Santa Rita, Paraíba
 
Clínica Corporis
(83) 3224-3331
Avenida Presidente Epitácio Pessoa 871
João Pessoa, Paraíba
 
Izabel Claudino Pontes
(83) 3244-6677
Avenida Expedicionários 349
João Pessoa, Paraíba
 
Prestadora de Serviços Oftalmológicos Ltda
(83) 3513-7121
Avenida Coremas 262
João Pessoa, Paraíba
 
Josete Maurício Lopes Pontes
(83) 3229-2577
Rua Siqueira Campos 133
Santa Rita, Paraíba
 
Eitel Santiago Silveira
(83) 3232-8926
Avenida Liberdade 1596 lj 02
Bayeux, Paraíba
 
Clínica Pró Mulher
(83) 3215-1100
Avenida Presidente Epitácio Pessoa 595
João Pessoa, Paraíba
 
Aurelita Assis Formiga
(83) 3221-1075
Avenida Francisca Moura 434 s 102
João Pessoa, Paraíba
 
Vanildo Pessoa Cabral de Vasconcelos
(83) 3244-9666
Avenida Presidente Epitácio Pessoa 897
João Pessoa, Paraíba
 

Tumores benignos dos tecidos moles

Os tumores benignos podem ser originários do tecido epitelial (Queratoacantoma), tecido conjuntivo (Hemangioma, Linfangioma e Mixoma), tecido muscular (Leimioma, Rabdomioma), tecido nervoso (Neurilemoma).O queratoacantoma é uma lesão benigna que muito raramente atinge a mucosa bucal e são mais comuns em regiões expostas da pele, como bochecha, nariz e lábio e possui como etiologia, fatores genéticos e o vírus, raramente atinge tamanho maior que um ou dois centímetros de diâmetro, geralmente comete mais comumente o sexo masculino (2:1); Aparece preferencialmente entre a 5º e 6º décadas.O queratoacantoma apresenta-se clinicamente como uma lesão elevada, umbelicada, crateriforme, contendo na porção central mais deprimida massas de queratina; dor e linfadenopatia regional podem estar presentes.A lesão do queratoacantoma é bastante preocupante, pois mostra um quadro histológico de carcinoma espinocelular, entretanto, é definitivamente benigna, ocorrendo, inclusive, regressões benignas.“Os hemangiomas são considerados tumores benignos da infância que se caracterizam por uma fase de crescimento rápido com proliferação de células endoteliais, seguida pela involução gradual.” (NEVILLE, 2002).Os hemangiomas correm em 5% a 10% das crianças com um ano de idade, é mais comum no sexo feminino (3:1); comete mais freqüentemente os brancos; clinicamente em 60% dos casos se localiza na região da cabeça e pescoço(podem levar à obstrução das vias aéreas.); 80% ocorrem como lesões isoladas e podem ser cavernosos ou capilares, sendo que lesões mistas também costumam ser encontradas.O hemangioma é uma das lesões mais perigosas com que se defronta o cirurgião-dentista; apresentando características como:— Os tumores superficiais da pele são elevados e bosselados, com uma coloração vermelho-vivo (hemangioma em morango);— Eles são firmes a palpação, e o sangue não pode ser evacuado pela aplicação de pressão;— A fase proliferativa dura de 6 a 10 meses;— A cor muda para arroxeado fosco e a lesão torna-se menos firme a palpação;— 90% dos casos resolvem-se aos nove anos de idade;— 50% Pele Normalizada e 40% Atrofia, cicatriz, rugosidade e telangiectasias.As características histológicas dos hemangiomas são:Fase inicial de desenvolvimento:— Numerosas células endoteliais dilatadas e lúmen vascular freqüentemente indistinto.Nas lesões maduras:— As Células endoteliais tornam-se achatadas e pequenas, e os espaços vasculares de tamanho capilar tornam-se mais evidentes.Conforme ocorra a involução, os espaços vasculares tornam-se mais dilatados e amplamente espaçados.Os pacientes com hemangiomas cutâneos múltiplos ou grandes na face, possuem risco aumentado para hemangiomas viscerais concomitantes e o tratamento é realizado com Corticosteróides e Interferon-α-2ª.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICASHeloísa Campos, in http://www.heloisacampos.com.brNEVILLE, Brad W. Patologia oral e maxilofacial. 2 ed.TOMMASI, Antonio F. Diagnóstico em patologia bucal. 3 ed.BORAKS, Silvio. Diagnóstico bucal.