Tratamento para Bruxismo Ariquemes RO

Encontre Tratamento para Bruxismo em Ariquemes. Conheça as clínicas especializadas desta área em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre este assunto.

Cláudia Santos Medeiros Barbosa
(48) 3324-0091
Rua Pres Nereu Ramos 19 s 511
Ariquemes, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
José Dilton de Paula Lacerda
(32) 3216-9843
Av Br do Rio Branco 2337 sl 1111
Ariquemes, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Maria e N M Oliveira
(83) 3246-6982
Av Juarez Távora 522 s 211
Ariquemes, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Antônio Carlos Amaral Nunes
(21) 2558-6426
Rua Marq de Abrantes 37 ap 108
Ariquemes, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
AlexanRegina Marcotti
(43) 3426-2582
Rua Rio Tibagi 254
Ariquemes, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Sérgio Luiz Vargas
(67) 3291-6972
Rua Delmira Cruz Bandeira 553
Ariquemes, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Paulo Roberto Haas
(51) 3634-1299
Rua José Armindo Selbach 128 ap 201
Ariquemes, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Antônio Carlos Andréa Henrique
(31) 3221-1732
Pc Bandeira 200
Ariquemes, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
José Dimas Beffa
(66) 3421-9380
Av Mal Dutra 855 sl 4
Ariquemes, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Priscila Loss
(41) 3247-7939
Rua Ildefonso Stockler França 312 ap 1
Ariquemes, Rondônia
Especialidade
Odontologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Tratamento para Bruxismo

O bruxismo é o hábito de pressionar e ranger os dentes durante o sono, produzindo ou não sons. Presente em adultos e crianças, o distúrbio normalmente acompanha a pessoa por toda a vida, já que o sucesso do tratamento depende essencialmente da resolução de questões emocionais. "As causas do ato inconsciente de apertar os dentes normalmente estão relacionadas a fatores psicológicos, como tensão, raiva, agressão reprimida, ansiedade, medo e, com destaque, estresse, além do mau posicionamento dental", explica o dentista Sidnei Goldmann.

Reclamações como ouvir zumbidos, ter dores perto do ouvido, da nuca e dos ombros, sentir dificuldade para mastigar, bocejar e abrir a boca e perceber estalos na região do ouvido, ao forçar a abertura da boca, são os principais sintomas do bruxismo, também conhecido por movimento parafuncional. Dores de cabeça e mandibulares também são sinais do distúrbio.

O transtorno pode acarretar desgaste dental, amolecimento de dentes, sensibilidade dentária, destruição e sangramento do tecido da gengiva e fadiga facial geral. Em dentes mais frágeis, sejam eles cariados ou tratados, o ranger pode provocar até mesmo a quebra.

O tratamento do bruxismo pode incluir o uso de placas, de silicone ou acrílico, que protege os dentes, alivia o sistema mastigatório e reduz a atividade elétrica muscular causadora da tensão. Além disso, o dentista também pode sugerir formas de reduzir o estresse, como, por exemplo, prática frequente de exercícios físicos, meditação, ioga, acupuntura e massagens, entre outras atividades, que podem variar de acordo com o perfil do paciente. Como o bruxismo não raramente vem acompanhado de depressão e ansiedade, pode haver necessidade de um tratamento psiquiátrico.

Se o caso for mais severo, o especialista ainda pode prescrever medicamentos para relaxar e dormir melhor. Seu dentista ou cirurgião maxilofacial ainda pode lhe indicar alguns exercícios para soltar os músculos maxilares. Outras ações que podem contribuir para a melhora são evitar chocolate e bebidas com cafeína e álcool e não mastigar com muita força durante as refeições.

Alguns fatores externos podem agravar o problema, como dormir de luz acesa ou TV ligada e ficar muitas horas no computador antes de deitar. Como esses estímulos interferem no ciclo do sono, mesmo que o indivíduo não acorde, podem ser um gatilho para o bruxismo. Por isso, um ambiente tranquilo para o descanso ajuda no bem-estar.

O bruxismo pode afetar pessoas de todas as faixas etárias e ambos os sexos. Mas é mais frequente em mulheres de 15 a 35 anos. Atualmente, estima-se que 7,5% da população mundial sofra desse problema. "Crianças com excesso de atividades e que passaram por problemas psicológicos (traumas, brigas de famílias ou quando são muito cobradas pela sociedade ou pelos familiares) têm muita possibilidade de desenvolver o bruxismo", afirma Goldmann.

Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais, a incidência é grande em crianças que têm responsabilidades desproporcionais à sua idade, como tomar conta da casa ou do irmão mais novo, por exemplo.