Síndrome de Swyer-James-MacLeod Rio Largo AL

Informações sobre Síndrome de Swyer-James-MacLeod em Rio Largo. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Síndrome de Swyer-James-MacLeod e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Rio Largo.

Diagnose
(82) 3336-6000
Rua Professor Virgínio de Campos, 487
Maceió, Alagoas
 
Emmanuel F S Cavalcante
(82) 3327-6210
Rua Prefeito Abdon Arroxelas 863
Maceió, Alagoas
 
Mediclin
(82) 3221-7080
Rua Barão de Anadia 120
Maceió, Alagoas
 
Med Exame
(82) 3375-9192
Rua Luiz Alves da Silva 326
Maceió, Alagoas
 
Alfred M Leahy
(82) 3221-3306
Rua Santa Cruz 31
Maceió, Alagoas
 
Ivanildo Geraldo Melo de Holanda
(82) 3355-4228
Avenida Pilar 466
Maceió, Alagoas
 
Gastroclínica
(82) 3311-8001
Rua Íris Alagoense 267
Maceió, Alagoas
 
Med Angio
(82) 4009-8899
Rua Professor José da Silveira Camerino, 534
Maceió, Alagoas
 
Cendor
(82) 2126-0740
Rua Doutor José Afonso de Melo 68 s 413
Maceió, Alagoas
 
Smile Atendimento Clínico
(82) 3241-1831
Rua Teófilo Barros 91
Maceió, Alagoas
 

Síndrome de Swyer-James-MacLeod

A síndrome de Swyer-James-MacLeod, também conhecida como síndrome do pulmão hiperluzente unilateral, trata-se de uma desordem rara ligada à bronquite e bronqueolite obliterante.Foi primeiramente descrita por Swyer e James, no ano de 1953, em um menino de 6 anos de idade e é caracterizada por hipoplasia e/ou agenesia das artérias pulmonares, resultando em hipoperfusão das artérias pulmonares.Embora a patogênese ainda não tenha sido completamente elucidada, acredita-se que uma infecção respiratória preceda (na infância ou adolescência) o surgimento desta síndrome.As manifestações clínicas variam. Alguns pacientes são assintomáticos; todavia, nos que não são a síndrome inicia-se com tosse crônica produtiva, dispneia e hemoptise. Em parte dos casos habitualmente o paciente apresenta histórico de infecções respiratórias durante a infância, especialmente de etiologia viral.Durante o exame físico, o médico pode observar a presença de diminuição do murmúrio vesicular, estertores e roncos em todo o pulmão envolvido, hiperressonância e um hemitórax que varia de normal a pequeno do lado acometido. Já o teste de função pulmonar aponta obstrução ventilatória de leve a moderada.O diagnóstico normalmente é estabelecido na infância em pacientes sintomáticos. Todavia, quando o paciente é assintomático, o diagnóstico costuma ser tardio, quando o mesmo realiza uma radiografia torácica por outros motivos. Nesses casos, observa-se uma radioluzência pulmonar anormal situada somente em um dos lados do pulmão (unilateral), com redução do padrão vascular, um tamanho normal ou reduzido do pulmão acometido.A cintilografia ventilatório-perfusional tem como objetivo encontrar a afecção não diagnosticada no pulmão contralateral, além de contribuir com o diagnóstico diferencial. Outra opção, considerada mais sensível do que a radiografia e a cintilografia, é a tomografia computadorizada. Esta última é mais eficiente na evidenciação de regiões pulmonares hiperluzentes e superior ao apontar sua extensão e distribuição.O tratamento desta síndrome é conservador, baseado nos sintomas apresentados pelo paciente. O uso de antibióticos tem sido sugerido, mas habitualmente é reservado para episódios de pneumonia bacteriana aguda. Já a ressecção cirúrgica das partes pulmonares envolvidas é indicada para pacientes com bronquiectasias localizadas, nos quais os sintomas levam ao comprometimento de suas atividades diárias.Fontes:http://es.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_Swyer-James-McGLeodhttp://emedicine.medscape.com/article/361906-overviewhttp://www.jornaldepneumologia.com.br/PDF/1999_25~10_portugues.pdfhttp://jmedicalcasereports.com/content/5/1/2