Síndrome de Kleine-Levin Rio Largo AL

Informações sobre Síndrome de Kleine-Levin em Rio Largo. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Síndrome de Kleine-Levin e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Rio Largo.

Santacoop
(82) 3311-6666
Rua Dias Cabral 424
Maceió, Alagoas
 
Integraser Medicina Integrada & Spa Urbano
(82) 3311-8232
Rua Professor Sandoval Arroxelas, 214
Maceió, Alagoas
 
Med Plus
(82) 3241-5920
Rua Manoel Gonçalves Ferreira 99
Maceió, Alagoas
 
Instituto da Mama de Alagoas
(82) 2121-2900
Engenheiro Mário de Gusmão, 603 - Pta Verde
Maceió, Alagoas
 
Mediclin
(82) 3221-7080
Rua Barão de Anadia 120
Maceió, Alagoas
 
Multiclínica
(82) 3241-1111
Avenida Presidente Getúlio Vargas 930
Maceió, Alagoas
 
Centro Médico do Farol
(82) 3221-0660
Rua José de Alencar 118
Maceió, Alagoas
 
Clínica de Anestesiologia de Maceió
(82) 3326-7488
Rua Dias Cabral 384
Maceió, Alagoas
 
Remov
(82) 3336-4027
Rua Santa Rita 125
Maceió, Alagoas
 
Master Estética
(82) 3035-5596
Rua Jangadeiros Alagoanos 1481 s 108
Maceió, Alagoas
 

Síndrome de Kleine-Levin

Um distúrbio raro neurológico que se manifesta depois de uma infecção ou da ocorrência de outras doenças, na maioria dos casos, atinge principalmente adolescentes do sexo masculino. A síndrome foi descoberta entre os anos de 1925 e 1929, pelos cientistas Kleine e Levin.O paciente pode apresentar hipersexualidade, irritabilidade e o hábito de comer compulsivamente. A doença pode ocorrer durante 10 dias seguidos entre 3 e 4 anos, e pode iniciar numa pessoa aos 8 anos de idade, colocando o paciente em estado contínuo de sonolência.A SKL (Síndrome de Kleine-Levin) é diagnosticada pela análise de hipersônia (diurna e noturna), hiperfagia e hipersexualidade. A partir de uma análise clínica, a doença é caracterizada por uma pertubação crônica que pode durar 8 anos, com “ataques” e incapacidade intelectual.Entre os anos de 1962 a 2004, foram detectados três casos, não havendo dados epidemiológicos. No mundo, há casos de pacientes do sexo feminino na fase da adolescência.A doença costuma ser tratada com estimulantes centrais, antidepressivos, lítio e antagonistas da serotonina. Os estimulantes são receitados para diminuir o sono excessivo.Na Árabia Saudita, por exemplo, foram detectados 18 pacientes, sendo 5 mulheres e 13 homens, com idades que variavam de 12 a 55 anos. Nesse caso, a duração média dos sintomas foi de 1,5 ano e cada paciente apresentou 6 episódios de sintomas. Dos 18 pacientes, 12 apresentaram hipersonia e 11 tiveram perda de apetite.Numa visão geral, há pacientes que perdem ou ganham apetite e em determinados casos só acordam para comer. Os pacientes costumam melhorar com o uso de medicamento destinados à epilepsia e calmante, sempre prescritos pelos médicos.Fontes:http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_Kleine-Levinhttp://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-81082007000300014http://idmed.uol.com.br/saude-de-a-z/sindrome-de-kleine-levin-conheca-o-disturbio-que-faz-um-individuo-dormir-quase-24-horas-seguidas.html