Síndrome de Dressler Araranguá SC

Informações sobre Síndrome de Dressler em Araranguá. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Síndrome de Dressler e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Araranguá.

Stefanio Nápoli Oliveira
(48) 3524-4770
Rua Caetano Lummertz 456 s 109
Araranguá, Santa Catarina
 
Cimel Saúde
(48) 3537-1717
Rua Alberto Burigo 120
Meleiro, Santa Catarina
 
Fisiolis
(48) 3533-1822
Avenida Nereu Ramos 1263
Sombrio, Santa Catarina
 
Mileto Clínica Médica
(48) 3045-6648
Rua Coronel Pedro Benedet 505 s 304 s 305
Criciúma, Santa Catarina
 
Clínica Médica Dal Pizzol e Ritter
(48) 3045-2985
Rua Antônio de Lucca 165 s 305
Criciúma, Santa Catarina
 
Clínica Ceretta
(48) 3524-0042
Praça Hercilio Luz 678 s 1
Araranguá, Santa Catarina
 
Gilson C N Silva
(48) 3533-3657
Rua Santo Antônio 153
Sombrio, Santa Catarina
 
Centro Clínico Sombrio
(48) 3533-0144
Rua Padre João Reitz 462
Sombrio, Santa Catarina
 
Anelise M Amboni
(48) 3433-7675
Rua Coronel Pedro Benedet 505 s 809
Criciúma, Santa Catarina
 
Centro da Mama
(48) 3433-0406
Rua Coronel Pedro Benedet 505 s 301
Criciúma, Santa Catarina
 

Síndrome de Dressler

A síndrome de Dressler trata-se de uma inflamação do pericárdio (pericardite), consequente de uma lesão aguda ao miocárdio (ataque cardíaco).Habitualmente, esta síndrome surge dentro de 3 a 4 semanas após a ocorrência do ataque cardíaco. Acredita-se que se trate de uma patologia auto-imune, resultante de uma reação anormal do sistema imunológico na sequencia de danos ao tecido cardíaco ou pericárdio.Esta síndrome foi caracterizada primeiramente por William Dressler, no ano de 1956.As manifestações clínicas da síndrome de Dressler incluem:Dor no peito, que pode agravar-se quando o paciente se inclina para frente, podendo irradiar-se para o ombro esquerdo;Dificuldade respiratória;Febre;Fadiga;Mal-estar geral.Embora raras, podem estar presentes duas complicações. São elas:Tamponamento cardíaco: nesta síndrome pode ocorrer derrame pericárdico, resultando em um esforço mais por parte do coração (devido à pressão sobre este órgão), reduzindo sua capacidade de bombear sangue com eficiência.Pericardite constritiva: esta condição surge quando a inflamação recorrente ou crônica do pericárdio deixa-o espesso ou com cicatrizes. Esta condição também faz com que o coração trabalhe mais intensamente e com menor eficiência.O diagnóstico é feito com base no histórico e quadro clínico, juntamente com exames e testes, abrangendo os seguintes procedimentos:Auscultação;Ecocardiograma;Eletrocardiograma;Radiografia torácica;Exames de sangue.O tratamento objetiva controlar a dor e diminuir o processo inflamatório. Os fármacos tipicamente utilizados são a aspirina, o ibuprofeno e o naproxeno. Caso estes não sejam eficazes, podem ser utilizados outros, como os corticosteróides e a colchicina. As possíveis complicações devem ser tratadas, quando presentes, devendo ser realizada a drenagem do excesso de fluídos e, caso haja o comprometimento do pericárdio, deve ser feita sua remoção (pericadiectomia). Geralmente o coração é capaz de funcionar normalmente sem o pericárdio.Fontes:http://www.tuasaude.com/sindrome-de-dressler/http://medicina.ufm.edu/cms/es/Sindrome_de_Dresslerhttp://en.wikipedia.org/wiki/Dressler’s_syndromehttp://www.mayoclinic.com/health/dresslers-syndrome/DS00666