Síndrome de De Quervain Campos Novos SC

Informações sobre Síndrome de De Quervain em Campos Novos. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Síndrome de De Quervain e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Campos Novos.

Cleia Esteves Malcorra
(49) 3541-1035
Rua Coronel Lucidoro 1026
Campos Novos, Santa Catarina
 
Clomar F Nilani
(49) 3544-0379
Rua Coronel Farrapo 555 s 1
Campos Novos, Santa Catarina
 
Hospital e Maternidade Santa Brígida
(49) 3541-0111
Avenida Caetano Belincanta Neto 947
Campos Novos, Santa Catarina
 
Hospital Rural Nossa Senhora de Fátima
(49) 3542-1111
Rua S José 363
Erval Velho, Santa Catarina
 
Oncoclínica
(47) 3322-2177
Rua Victor Hering 468
Blumenau, Santa Catarina
 
Unimed Campos Novos
(49) 3544-0037
Rua Benjamin Constant
Campos Novos, Santa Catarina
 
Hospital Doutor José Athanásio
(49) 3541-0700
Rua Nereu Ramos 379
Campos Novos, Santa Catarina
 
Fundação Hospitalar Dr José Athanazio
(49) 3541-1825
Rua Nereu Ramos 379
Campos Novos, Santa Catarina
 
Giovane Waltrick Mazzalira
(47) 3276-1499
Rua João Picolli 235 s 4
Jaraguá do Sul, Santa Catarina
 
Clínica Integrada Medicina e Odontologia de Joinville Climov
(47) 3433-2807
Rua Jacob Richlin 163 s 2
Joinville, Santa Catarina
 

Síndrome de De Quervain

A síndrome de De Quervain, também conhecida como enfermidade de De Quervain, torcedura da lavandeira, ou ainda tendinide estenosante de De Quervain, trata-se de uma forma de tendinite crônica. Foi descrita primeiramente pelo médico suíço Fritz de Quervain, no ano de 1895.Acomete com maior frequência mulheres entre os 30 aos 50 anos de idade e caracteriza-se por afetar os tendões abdutor longo e extensor curto do polegar, na área onde atravessam uma bainha fibrosa espessa.Dentre as causas desta síndrome estão:Fatores de origem não ocupacional: fatores metabólicos (como diabetes, gota e hipotireoidismo); fatores inflamatórios gerais (como artrite reumatoide, tuberculose e infecção fúngica); puerpério; e certas infecções ( como amigdalite, otites e infecções dentárias).Fatores de origem ocupacional: atividades de pinçamento do polegar, com movimento de flexão e extensão do punho; uso de ferramentas ou instrumentos de trabalho que necessitem de desvio ulnar do carpo; e alta repetitividade de movimentos com o punho sem apoio, uso exagerado de força, compressão do polegar ou do punho.As manifestações clínicas incluem:Dor;Inchaço sobre o pulso no lado em que o polegar está localizado;Enrijecimento.Com a progressão da patologia, o paciente apresenta dificuldade para segurar objetos que exijam a realização da pinça com o polegar.O diagnóstico é feito por meio do teste de Finkelstein em indivíduos que reclama de dor no pulso. Para a realização do teste, coloca-se o polegar na mão fechada e a mesma é girada em direção ao dedo mínimo. A dor é sentida no antebraço, no mesmo lado em que o polegar se encontra, aproximadamente uma polegada abaixo do punho. Outros exames também auxiliam no fechamento do diagnóstico, como a radiografia da mão, hemograma e provas reumáticas.O diagnóstico diferencial desta síndrome engloba a osteoartrite da articulação carpometacarpal, a síndrome da interseção e a síndrome de Wartenberg.O tratamento da síndrome de De Quervain é conservador, por meio da utilização de anti-inflamatórios não esteroides, imobilização do polegar, infiltração com corticosteróide e fisioterapia. Caso nenhuma das opções anterior leva a resultados positivos, existe a opção de tratamento cirúrgico, no qual a bainha do primeiro compartimento dorsal é aberta longitudinalmente, visando aliviar a dor. Todavia, há risco de lesão do nervo radial.Fontes:http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_De_Quervainhttp://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/reumato/quervain1.htmhttp://www.plamef.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=34:tenossinovite-ou-sindrome-de-de-quervain&catid=3:saude&Itemid=34