Retinoblastoma Goiatuba GO

Informações sobre Retinoblastoma em Goiatuba. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento de Retinoblastoma e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Goiatuba.

Clínica Santa Paula
(64) 3495-1337
Rua Tietê 544
Goiatuba, Goiás
 
Casa de Saúde São José
(64) 3495-1481
Rua Piracanjuba 330
Goiatuba, Goiás
 
Hospital Frei Anacleto Ltda
(64) 3495-1963
Rua Tietê 534
Goiatuba, Goiás
 
Cdc Centro de Diagnóstico e Cirurgia
(62) 3307-3131
Rua 3 274 qd 3 lt 3
Ceres, Goiás
 
Instituto de Mastologia e Ancologia
(62) 3224-2121
Al das Rosas 533
Goiânia, Goiás
 
Clínica de Olhos
(64) 3495-3823
Rua S Francisco 445
Goiatuba, Goiás
 
Mater Luz
(64) 3495-3786
Rua Minas Gerais 929
Goiatuba, Goiás
 
Instituto Médico Cora Coralina
(62) 3945-0354
Rua 1124 469 qd 217 lt 12
Goiânia, Goiás
 
Cairo Mardem Tadeu Inocêncio
(64) 3411-1842
Rua Madre Esperança Garrido 63
Catalão, Goiás
 
Humani Espaço Integrado
(62) 3941-2461
Rua 1124 99
Goiânia, Goiás
 

Retinoblastoma

O retinoblastoma é uma neoplasia maligna que surge na retina, desenvolvendo-se a partir dos retinoblastos (células foto-receptoras da retina).A maioria dos casos ocorre em crianças pequenas, representando 3% das neoplasias em indivíduos menores de 15 anos de idade. Aparentemente, esse tumor acomete mais as crianças de países em desenvolvimento.Apresenta etiologia genética, devido à mutação de um gene localizado no braço longo do cromossomo 13, sendo que aproximadamente 10% dos casos apresentam caráter hereditário (modelo de transmissão autossômico dominante), enquanto que os 90% restantes têm apresentação não hereditária.Esta neoplasia pode ser congênita ou surgir, principalmente, dentro dos 3 primeiros anos de vida. Pode iniciar-se em um ou em ambos os olhos. Normalmente este tumor limita-se ao globo ocular; todavia, pode alcançar outras áreas do crânio. Quando for bilateral, significa que o retinoblastoma é hereditário, enquanto que quando unilateral, significa que não é hereditária. Em consequência do fator hereditário, os pacientes e seus irmãos devem realizar exames periódicos, juntamente com terapia genética para quantificar o risco de desenvolvimento da neoplasia.O diagnóstico é realizado por meio do exame de fundo de olho, complementado com a ultra-sonografia ocular e pela tomografia computadorizada, do olho, da órbita e sistema nervoso central (SNC).O tratamento varia com o estágio de evolução que o tumor se encontra. Tumores pequenos habitualmente são tratados com laser (termoterapia ou crioterapia). Tumores médios são tratados por meio de quimioterapia intra-arterial (quimioterápicos injetados diretamente na artéria oftálmica), braquiterapia e laser. Já tumores grandes, normalmente só podem ser tratados por meio da ressecção do globo ocular. Quando há a disseminação (metástase) para o SNC ou para outras partes do organismo, utiliza-se a quimioterapia em associação com a radioterapia.Quando diagnosticado a tempo, o retinoblastoma pode ser curado e a visão preservada. Contudo, quanto mais tardiamente for detectado, menores são as chances de um bom prognóstico.Fontes:http://pt.wikipedia.org/wiki/Retinoblastomahttp://www.oftalmopediatria.com.br/texto.php?cs=5http://www.oncopediatria.org.br/content/retinoblastomahttp://www.cbv.med.br/home/txt_leigos.asp?cod=48http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?363http://www.gustavoguimaraes.com.br/retinoblastoma.htmFoto: http://www.stjude.org/retinoblastoma