Hiperidrose Arapiraca, Alagoas

Informações sobre Hiperidrose em Arapiraca. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Hiperidrose e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Arapiraca.

Otomed Alagoas
(82) 3539-1114
Rua 30 de Outubro 121
Arapiraca, Alagoas
 
Santa Fé Medical Center
(82) 3482-7133
Rua Esperidião Rodrigues 103
Arapiraca, Alagoas
 
Clínica Ciam
(82) 3522-2533
Avenida Pedro Leão 119
Arapiraca, Alagoas
 
Espaço Fisio & Saúde
(82) 3529-9600
Rua Nossa Senhora de Fátima 218
Arapiraca, Alagoas
 
Clínica Imagem
(82) 3521-6192
Rua São Domingos 115
Arapiraca, Alagoas
 
Clínica Profª Maria Anunciada
(82) 3521-6500
Rua Monsenhor Macedo 362 c A
Arapiraca, Alagoas
 
José C L Silva
(82) 3530-1662
Praça Pereira Magalhães 79
Arapiraca, Alagoas
 
Clínica de Trânsito de Arapiraca
(82) 3522-3303
Rua Teodorico Costa 120
Arapiraca, Alagoas
 
Vaccini Clínica de Vacinação
(82) 3522-2154
Rua Marcelino Magalhães 330
Arapiraca, Alagoas
 
Cmi Consultórios Médicos Integrados
(82) 3522-3388
Rua Fernandes Lima, 345
Arapiraca, Alagoas
 

Hiperidrose

O suor é necessário para o controle da temperatura corpórea, principalmente durante a realização de exercícios ou quando a temperatura ambiental está mais elevada. A sudorese é controlada pelo sistema nervoso autônomo simpático. A condição onde há um aumento excessivo de transpiração, além do necessário para a regulação da temperatura corporal, é denominada de hiperidrose.Esta alteração é relativamente frequente. Não é uma doença grave, é apenas uma situação desconfortável que causa constrangimento social e transtornos de relacionamento e até psicológicos no portador dessa condição.A hiperidrose pode ter causa primária ou secundária. Nesse último caso pode ocorrer como consequência do hipertireoidismo, de distúrbio psiquiátrico, de menopausa ou de obesidade.No caso da hiperidrose primária, os sintomas podem surgir na infância, na adolescência ou somente na idade adulta, por razões ainda não conhecidas.O sintoma relatado por quem sofre dessa disfunção é a sudorese constante. Existem fatores que agravam essa situação, como: aumento da temperatura ambiente, realização de exercícios, febre, ansiedade e ingestão de alimentos condimentados. Normalmente há melhora da sudorese durante o sono. Pode afetar todo o corpo ou se restringir apenas à região palmar, plantar, axilar, inframamária, inguinal ou crânio-facil. Em casos graves, onde ocorre gotejamento espontâneo da região afetada, a pele pode ficar macerada ou até mesmo fissurada; na região axilar a sudorese pode gerar odor fétido, podendo contribuir até para o aparecimento de outras doenças (infecções piogênicas, fúngicas, dermatite de contato, entre outras).Existem dois tipos de tratamento para a hiperidrose:Temporário ou paliativo: uso de antitranspirantes e adstringentes, uso de talco ou amido de milho natural (casos mais leves), não calçar o mesmo par de sapatos por dois dias seguidos, tratamento medicamentoso sistêmico, injeções locais de toxina botulínica (duração de 4 a 6 meses).Definitivo ou cirúrgico: realizado por meio da videotoracoscopia. Realiza-se duas pequenas incisões com aproximadamente 1 cm, onde é introduzido um sistema de vídeo e, em seguida, interrompe-se a condução nervosa responsável pelo problema. A simpatectomia torácica é utilizada no tratamento da hiperidrose palmar e axilar, e também tem resultado positivo para outros problemas (distrofia simpática reversa, doença de Raynaud, entre outras). O procedimento é contra-indicado em pacientes portadores de hiperidrose secundária, pacientes portadores de insuficiência respiratória ou cardiovascular grave e nos pacientes com seqüelas de doença pleural.A cirurgia pode resultar em hidrose compensatória. Este está associado com o nível de secção ou ressecção da cadeia compensatória. Quanto mais alto for o nível operado, maior a ocorrência da hiperidrose compensatória intolerável. Em outras palavras, ocorre uma melhora na sudorese das regiões críticas, no entanto, outras partes do corpo são atingidas, como por exemplo, costas e abdômen.Fontes:http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?518http://www.drauziovarella.com.br/ExibirConteudo/862/hiperidrosehttp://pt.wikipedia.org/wiki/Hiperidrosehttp://www.unifesp.br/dcir/torax/vats/hiperidrose.htm#14