Hemangiomas Fragiformes e Tuberosos Santa Rita, Paraíba

Informações sobre Hemangiomas Fragiformes e Tuberosos em Santa Rita. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento de Hemangiomas Fragiformes e Tuberosos e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Santa Rita.

Policlínica São Roque
(83) 3229-0400
Avenida Flávio Ribeiro Coutinho 264 ap 1
Santa Rita, Paraíba
 
Josete Maurício Lopes Pontes
(83) 3229-2577
Rua Siqueira Campos 133
Santa Rita, Paraíba
 
Clínica Reumatologica Recuperação Motora Evandro V César
(83) 3221-2718
Rua Diogo Velho 140
João Pessoa, Paraíba
 
Maria da Luz Cunha P Gorenstin
(83) 3241-1994
Avenida Francisca Moura 434 s 704
João Pessoa, Paraíba
 
Vanildo Pessoa Cabral de Vasconcelos
(83) 3244-9666
Avenida Presidente Epitácio Pessoa 897
João Pessoa, Paraíba
 
Clínica Santa Rita
(83) 3229-1140
Rua Francisco Gomes de Azevedo 2
Santa Rita, Paraíba
 
Eitel Santiago Silveira
(83) 3232-8926
Avenida Liberdade 1596 lj 02
Bayeux, Paraíba
 
Clinic Center
(83) 3221-0812
Rua Afonso Campos 238
João Pessoa, Paraíba
 
Izabel Claudino Pontes
(83) 3244-6677
Avenida Expedicionários 349
João Pessoa, Paraíba
 
Centro Médico do Buriti
(83) 3244-9585
Avenida General Bento da Gama 121
João Pessoa, Paraíba
 

Hemangiomas Fragiformes e Tuberosos

Os hemangiomas do tipo fragiformes e tuberosos afetam a criança no pós-natal e progridem velozmente em volume e extensão nas primeiras semanas ou meses de vida, resultante da proliferação celular. Por esse motivo são descritos na literatura especializada como “hemangiomas verdadeiros”, uma vez que o sufixo –oma designa proliferação. Em aproximadamente 80% dos casos, estão localizados na região cefálica.É importante ressaltar que os fragiformes são oriundos de um único broto angiogênico e possuem crescimento do tipo circular, enquanto que os tuberosos são oriundos de diferentes brotos angiogênicos.Quando pequenos, esses hemangiomas não representam perigo; contudo, os mais extensos podem progredir, vindo a apresentar ulceração difícil de ser controlada, não apresentando apenas perigo às funções fisiológicas, como é o caso dos que obstruem a visão, mas também ameaçando a vida do paciente, como é o caso dos que obstruem as vias aéreas ou digestivas.Raramente os hemangiomas volumosos podem gerar plaquetopenia que levará a problemas na coagulação sanguínea, determinando um quadro chamado Síndrome de Kasabach-Merritt.Ambos os tipos de hemangiomas apresentam involução lenta e natural, normalmente a partir do segundo ano de vida, desaparecendo entre os 7 a 10 anos de idade. Freqüentemente são observadas cicatrizes.O diagnóstico basicamente é clínico, sendo que normalmente não são necessários exames de imagem.O tratamento pode ser cirúrgico, laserterapia ou medicamentoso, sendo que a escolha da terapia deve ser realizada cuidadosamente pelo médico. O tratamento precoce é o único jeito de evitar que o desenvolvimento do hemangioma resulte em seqüelas permanentes.Fontes:http://www.hemangioma.com.br/hemangioma/http://www.hepcentro.com.br/hemangioma.htmhttp://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3182&ReturnCatID=1767http://adam.sertaoggi.com.br/encyclopedia/ency/article/001459.htmhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Hemangiomahttp://www.dermatologia.net/novo/base/doencas/hemangiomas.shtmlhttp://www.unimep.br/phpg/editora/revistaspdf/revfol13_1art09.pdf