Hanseníase (Lepra) Joinville, Santa Catarina

Informações sobre Hanseníase (Lepra) em Joinville. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento de Hanseníase (Lepra) e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Joinville.

Cliniville
(47) 3025-5588
Rua Visconde de Taunay 530
Joinville, Santa Catarina
 
Clínica Prontocor
(47) 3433-8433
Rua 15 de Novembro 867
Joinville, Santa Catarina
 
Cho Clínica de Hematologia e Oncologia
(47) 3433-1849
Rua Alexandre Dohler, 129 s 706
Joinville, Santa Catarina
 
Clínica Médica Ginecológica
(47) 3433-5300
Rua Blumenau 178 s 1007
Joinville, Santa Catarina
 
Valéria Sueli Alves
(47) 3026-1146
Rua Anita Garibaldi 293
Joinville, Santa Catarina
 
C T S Clínica Trabalho e Saúde Médicos Associados
(47) 3028-9894
Tv São José 435
Joinville, Santa Catarina
 
Podoclinic Fisioterapia Ltda
(47) 3423-0484
Rua Blumenau 178
Joinville, Santa Catarina
 
Clínica Integrada Medicina e Odontologia de Joinville Climov
(47) 3433-2807
Rua Jacob Richlin 163 s 2
Joinville, Santa Catarina
 
Clínica Médica Bethesda
(47) 3424-1075
Rua Conselheiro Pedreira
Joinville, Santa Catarina
 
São Marcos Pneumologia
(47) 3433-3728
Rua Abdon Batista 47 - 7
Joinville, Santa Catarina
 

Hanseníase (Lepra)

A hanseníase mais comumente chamada de “lepra” é uma doença de fundo infeccioso (bactéria Mycobacterium leprae). A doença ataca principalmente a pele e as extremidades do corpo.A transmissão da doença se dá pelo contato corpo a corpo dos indivíduos contaminados para os indivíduos saudáveis (contato com a ferida, saliva…), onde as bactérias são eliminadas. Porém são apenas algumas pessoas que são suscetíveis a doença (geralmente crianças).Existem várias formas de manifestação da doença que dependem da resistência dos indivíduos ao bacilo, podem ser medidas através do teste de Mitsuda (Boa defesa, Defesa intermediária e ausência de defesa). Temos as seguintes formas da doença (manifestações clínicas):- Hanseníase indeterminada: início da doença que geralmente evolui pra cura, nota-se apenas uma pequena mancha na pele (o qual o individuo não possui sensibilidade);- Hanseníase tuberculóide: ataca os indivíduos mais resistentes ao bacilo, causa poucas lesões e pode causar dor e atrofia dos músculos próximos a área das lesões- Hanseníase dimorfa: atacam os indivíduos de imunidade intermediária, acometendo os nervos próximos as lesões;- Hanseníase lepromatosa: ocorre quando o organismo não tem imunidade ao bacilo, causando grandes áreas de lesões no corpo, atrofia muscular e deformidade das extremidades do corpo, afeta também os órgãos internos.A doença tem cura com tratamentos que variam de 6 meses à um ano. Não é necessário o isolamento dos pacientes como era feito antigamente. O Brasil é o primeiro colocado na América Latina com o número estimado de 500 mil doentes. Todo o tratamento é fornecido gratuitamente pelo SUS.