Escorbuto Corrente PI

Informações sobre Escorbuto em Corrente. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento do Escorbuto e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Corrente.

Policlínica de Corrente
(89) 3573-1851
Avenida Desembargador Amaral 1675
Corrente, Piauí
 
Centro Médico Correntino
(89) 3573-1483
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Cendomed
(86) 3233-3540
Avenida Governador Gayoso Almendra 211
Teresina, Piauí
 
Criar Clínica de Reprod Humana
(86) 3232-2400
Rua Anfrísio Lobão 2039
Teresina, Piauí
 
Hospital Santa Edwirges
(86) 3322-2959
Rua Anísio de Abreu 184
Parnaíba, Piauí
 
Climecor
(89) 3573-1123
Rua Antônio Nogueira Carvalho 1147
Corrente, Piauí
 
Hospital Estadual e Regional D
(89) 3573-1465
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Clínica Endografo
(86) 2106-7777
Rua Coelho Rodrigues 1938
Teresina, Piauí
 
Semej
(89) 3457-1313
Avenida Engenheiro Ribeiro Gonçalves 480
Jaicós, Piauí
 
Clínica Santa Terezinha
(89) 3582-2914
Rua Aniceto Cavalcante
São Raimundo Nonato, Piauí
 

Escorbuto

O escorbuto é uma doença que surge como conseqüência da falta extrema de vitamina C no organismo.A falta de vitamina C desencadeia uma série de desequilíbrios no organismo, sobretudo na produção do colágeno.Os principais sintomas do escorbuto são:- Hemorragias nas gengivas sem causa aparente- Hemorragias na pele com demora no processo de cicatrização.- Dentes soltos- Dor muscular e nas articulações- CansaçoO escorbuto foi uma doença muito comum na Idade Média. Principalmente na Europa, nos invernos intensos quando as pessoas deixavam de produzir, e, portanto de consumir alimentos ricos em vitamina C e na época das navegações, pois os marinheiros ficavam muito tempo no mar, e por isso não se alimentavam de frutas e verduras.Por volta do séc. XVII, os ingleses passaram a produzir e consumir batatas, o que diminuiu significativamente o número de casos de escorbuto.Porém, sem perceber a relação entre a mudança na alimentação e a diminuição dos casos da doença, entre os marinheiros o escorbuto se tornou uma “epidemia”.Segundo pesquisas, de 1500 a 1900, morreram aproximadamente 2 milhões de marinheiros vitímas da doença. Foram várias as teorias dos estudiosos da época, sendo que a doença tinha diferentes nomes, como “a peste das naus” (espanhóis), o “mal de Luanda” (portugueses) e “peste do mar” (ingleses).Um médico da marinha inglesa, chamado James Lindt (1716-1794), desconfiou que a causa do escorbuto pudesse estar na alimentação, pois percebeu a deficiência em relação aos vegetais nas grandes viagens. Selecionou então 12 marinheiros que apresentavam os sintomas da doença, e para eles administrou 6 dietas diferentes, cada uma com um tipo de vegetal. Percebeu então, que os 2 marinheiros que consumiram laranjas e limões em suas dietas, apresentaram melhora imediata. Apesar de não ter clareza que a vitamina C era a responsável pela cura, em pouco tempo laranjas e limões passaram a fazer parte da alimentação dos marinheiros da maioria dos países.