Eclampsia Corrente PI

Informações sobre Eclampsia em Corrente. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Eclampsia e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Corrente.

Centro Médico Correntino
(89) 3573-1483
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Policlínica de Corrente
(89) 3573-1851
Avenida Desembargador Amaral 1675
Corrente, Piauí
 
Consultório Médico Dr Eduardo Moura
(89) 3483-1761
Rua Rodrigo Carvalho 821
São João do Piauí, Piauí
 
Centro de Dermatologia e Endocrinologia Lia Rachel
(86) 3221-4789
Rua São Pedro 1977
Teresina, Piauí
 
Bionuclear Clínica de Medicina Nuclear
(86) 3222-5524
Rua Desembargador Pires de Castro 489 S
Teresina, Piauí
 
Climecor
(89) 3573-1123
Rua Antônio Nogueira Carvalho 1147
Corrente, Piauí
 
Hospital Estadual e Regional D
(89) 3573-1465
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Clínica Ortopedia e Pediatria
(89) 3522-1990
Rua Fernando Drumont 614
Floriano, Piauí
 
Vita Clínica
(86) 3276-0711
Rua Padre Domingos 218
Piripiri, Piauí
 
Novaclinica
(86) 3221-0259
Rua Coelho de Resende 500
Teresina, Piauí
 

Eclampsia

Eclampsia é uma grave complicação ocorrida durante a gestação e caracteriza-se por convulsões. É definida como um acidente agudo paroxístico de toxemia gravídica, representando a forma mais grave da doença pré-eclampsia.A paciente acometida por essa doença apresenta hipertensão e proteinúria, normalmente atingindo as mulheres após a segunda metade de gestação (após a 20° semana de gravidez), ou após o parto. Por conseguinte, surgem os sintomas que caracterizam os eclampismo, que são: elevação da albuminúria (eliminação de albumina pela urina), dores de cabeça persistentes, aumento da pressão arterial, edemas, oligúria (diminuição da produção de urina), vertigens, zumbidos, sonolência, fadiga e êmese.Geralmente, em 10% das gestações há o aparecimento de hipertensão arterial, sendo, que na sua maior parte, na forma de pré-eclampsia leve.Sua causa ainda não foi completamente elucidada. Sabe-se, todavia, que a existência da placenta é necessária e que não precisa existir o feto. Certos tumores placentários podem causar pré-eclampsia.Os fatores de risco dessa doença são:Mulheres que engravidam mais velhas, ou então, muito novas (acima de 35 anos e abaixo de 18 anos);Primeira gravidez;Pacientes que possuem histórico de diabetes, hipertensão, pré-eclampsia ou eclampsia, ou casos dessas doenças na família;Mulheres que apresentam problema de obesidade.O diagnóstico é feito com base nas manifestações clínicas, como pressão arterial elevada, juntamente com resultados de exames laboratoriais de urina e sangue.O tratamento deve ser feito na prevenção da evolução do quadro de pré-eclampsia para eclampsia, realizado por meio de um minucioso acompanhamento da gestação. Mulheres com pré-eclampsia devem permanecer em repouso durante a gravidez, aferir a pressão regularmente e iniciar uma dieta com pouco sal. Fármacos anti-hipertensivos e anticonvulsivantes são recomendados para os casos mais graves. Após a remoção da placenta, a doença regride espontaneamente.Fontes:http://pt.wikipedia.org/wiki/Eclampsiahttp://guiadobebe.uol.com.br/parto/eclampsia.htmhttp://www.drauziovarella.com.br/Sintomas/5318/eclampsia-e-pre-eclampsia