Doenças Transmitidas por Alimentos Corrente PI

Informações sobre Doenças Transmitidas por Alimentos em Corrente. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Doenças Transmitidas por Alimentos e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Corrente.

Climecor
(89) 3573-1123
Rua Antônio Nogueira Carvalho 1147
Corrente, Piauí
 
Centro Médico Correntino
(89) 3573-1483
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Clínica Bem Cuidar
(86) 3227-2427
Rua Álvaro Mendes, 2003
Teresina, Piauí
 
Clínica São Sebastião
(89) 3544-1471
Rua Erotildes Lima 340
Uruçuí, Piauí
 
Clínica e Maternidade Santa Fé
(86) 2106-8400
Rua 1º de Maio, 906
Teresina, Piauí
 
Policlínica de Corrente
(89) 3573-1851
Avenida Desembargador Amaral 1675
Corrente, Piauí
 
Hospital Estadual e Regional D
(89) 3573-1465
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Biodiagnostico
(89) 3422-1235
Avenida Getúlio Vargas 509
Picos, Piauí
 
Clínica Márcia Mattos Ltda
(86) 3231-3429
Rua Professor Odilo Ramos 1199 s 204
Teresina, Piauí
 
Ortoclínica Ortopedia e Traumatologia
(86) 3222-5514
Rua Desembargador Pires de Castro 595
Teresina, Piauí
 

Doenças Transmitidas por Alimentos

As Doenças transmitidas por alimentos ou DTAs são causadas pela ingestão de alimentos ou bebidas contaminados, em quantidades que afetam a saúde do consumidor. A maioria são infecções causadas por bactérias e suas toxinas, vírus e parasitas. Outras doenças são envenenamentos causados por toxinas naturais ou por produtos químicos prejudiciais que contaminaram o alimento (ex: agrotóxicos).As DTAs são uma importante causa de morbidade e mortalidade em todo o mundo. Em muitos países tem emergido como um crescente problema econômico e de saúde pública. A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que, a cada ano, mais de dois milhões de pessoas morram por doenças diarreicas, muitas adquiridas ao ingerir alimentos contaminados. No Brasil, faz-se a vigilância epidemiológica de surtos de DTA e não de casos individuais, com exceção da cólera, febre tifóide e botulismo. Essa vigilância (VE-DTA) teve início em 1999 e há registro médio de 665 surtos por ano, com 13 mil doentes. No Brasil, a maioria das doenças transmitidas por alimentos são causadas pela Salmonella, Escherichia coli patogênica e Clostridium perfringens, pelas toxinas do Staphylococcus aureus e Bacillus cereus.Os sintomas mais comumente encontrados são náuseas, vômitos, falta de apetite, diarreia, dores abdominais e febre, variando de acordo com o agente etiológico. As doenças que causam diarreia e vômitos podem levar à desidratação; a reposição destes fluidos e eletrólitos é extremamente importante.A prevenção se faz da seguinte forma: lavar as mãos regularmente; desinfetar todas as superfícies, utensílios e equipamentos usados na preparação de alimentos; escolher alimentos frescos com boa aparência, e antes do consumo os mesmos devem ser lavados; evitar comer alimentos crus, com exceção das frutas e verduras que podem ser descascadas, cujas cascas estejam íntegras; comprar alimentos seguros verificando prazo de validade, acondicionamento e suas condições físicas (aparência, consistência, odor); comprar carne inspecionada pelo serviço de inspeção federal; não comprar alimentos sem etiqueta que identifique o produtor; os pescados e mariscos de certas espécies, e em alguns países em particular, podem estar contaminados com toxinas que permanecem ativas, apesar de uma boa cocção; consumir leite pasteurizado e esterilizado (UHT); evitar o consumo de alimentos crus, mal cozidos (saladas, carnes, dentre outros); evitar comidas vendidas por ambulantes, pois não se sabe se houve higiene na preparação destes produtos e nem se estão sendo armazenados adequadamente; manter os alimentos fora do alcance de insetos, roedores e outros animais. Estas são apenas algumas dicas que o ministério da Saúde dá para se evitar ter uma DTA.Fonte:Ministério da Saúde, 2012, Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/area.cfm?id_area=1550 Acesso em 15 de abril de 2012