Doença de Peyronie Corrente PI

Informações sobre Doença de Peyronie em Corrente. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Doença de Peyronie e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Corrente.

Policlínica de Corrente
(89) 3573-1851
Avenida Desembargador Amaral 1675
Corrente, Piauí
 
Centro Médico Correntino
(89) 3573-1483
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Abilene Maria de Souza
(86) 3255-1221
Rua Hospital 115
Sigefredo Pacheco, Piauí
 
Diana Raimunda Alves de Sousa
(86) 3221-1869
Rua Olavo Bilac 1759 s 05
Teresina, Piauí
 
Urolitho
(86) 3221-9092
Rua Desembargador Pires de Castro 456
Teresina, Piauí
 
Climecor
(89) 3573-1123
Rua Antônio Nogueira Carvalho 1147
Corrente, Piauí
 
Hospital Estadual e Regional D
(89) 3573-1465
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
David Delphino Cortellazzi
(86) 3232-4431
Avenida Coronel Costa Araújo 1501
Teresina, Piauí
 
Vita Clínica
(86) 3276-0711
Rua Padre Domingos 218
Piripiri, Piauí
 
Bionuclear Clínica de Medicina Nuclear
(86) 3222-5524
Rua Desembargador Pires de Castro 489 S
Teresina, Piauí
 

Doença de Peyronie

A doença de Peyronie é um distúrbio do tecido conjuntivo que está relacionado com o crescimento de placas fibrosas no tecido peniano. Acomete cerca de 1-4% dos homens, geralmente com idade entre 40 a 65 anos. O processo de fibrose localiza-se na túnica albugínea dos corpos cavernosos, e apresentam tamanhos e posicionamentos diversos, podendo ser pequenos, sendo assim, de difícil percepção, até grandes e múltiplas, comprometendo quase toda a túnica albugínea.Não se sabe ao certo ainda qual a etiologia dessa calcificação. Todavia, pode ser atribuída, em parte, a pequenos e repetidos traumas sofridos durante o ato sexual, micro traumas durante as ereções noturnas ou trauma direto em homens que apresentam alguma predisposição.Essa doença pode causar diversos sintomas, como dor, endurecimento, lesões ou curvatura anormal do pênis quando este encontra-se ereto, estreitamento ou diminuição do comprimento peniano. A sensação dolorosa que surge nos estágios iniciais da doença normalmente regride dentro de 12 a 18 meses. Nos estágios tardios, associados a esses sintomas, pode haver disfunção erétil, além de tornar a relação sexual um ato doloroso.Na maioria das vezes o diagnóstico é simples, feito através do quadro clínico apresentado pelo paciente e do exame físico realizado pelo médico.A doença de Peyronie tem como tratamento primário o clínico, tais como antiinflamatórios e administração oral de vitamina E, além de drogas injetáveis na placa (esteróides, verapamil, colagenasas). Em certos casos, pode ser necessária a cirurgia, quando a curvatura do pênis for impedir ou comprometer a penetração vaginal, após 12 meses dessa afecção encontra-se estabelecida.Fontes:http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?154http://pt.wikipedia.org/wiki/Doença_de_Peyroniehttp://www.projetodiretrizes.org.br/6_volume/17-DoencaPeynieTratClin.pdfhttp://www.institutopaulista.com.br/sub_alteracoes_peyronie.htmhttp://www.drauziovarella.com.br/Sintomas/4800/doenca-de-peyronie