Doença de Kashin-Beck Corrente PI

Informações sobre Doença de Kashin-Beck em Corrente. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Doença de Kashin-Beck e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Corrente.

Climecor
(89) 3573-1123
Rua Antônio Nogueira Carvalho 1147
Corrente, Piauí
 
Centro Médico Correntino
(89) 3573-1483
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Hospital Santa Edwirges
(86) 3322-2959
Rua Anísio de Abreu 184
Parnaíba, Piauí
 
Biodiagnostico
(89) 3422-1235
Avenida Getúlio Vargas 509
Picos, Piauí
 
Vita Clínica
(86) 3276-0711
Rua Padre Domingos 218
Piripiri, Piauí
 
Policlínica de Corrente
(89) 3573-1851
Avenida Desembargador Amaral 1675
Corrente, Piauí
 
Hospital Estadual e Regional D
(89) 3573-1465
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Centro Médico de Picos
(89) 3422-1283
Rua Monsenhor Hipólito 448
Picos, Piauí
 
Climet
(86) 3233-4444
Avenida Senador Area Leão 1625
Teresina, Piauí
 
Fernanda Márcia Aguiar de Oliveira
(86) 3226-4640
Rua Governador Raimundo Artur de Vasconcelos 670 s 602
Teresina, Piauí
 

Doença de Kashin-Beck

A doença de Kashin-Beck, também denominada osteoartrite deformante, consiste em uma desordem óssea, que acomete mais comumente crianças e adolescentes. Caracteriza-se por alterações patológicas (degeneração e necrose) na cartilagem articular e na placa epifisária.Há mais de 150 anos que este transtorno tem sido relatado; todavia, sua etiologia ainda não foi bem elucidada. As hipóteses aceitas atualmente envolvem a infecção por micotoxinas encontradas em grãos, deficiência de minerais (especialmente selênio e iodo) na alimentação e níveis elevados de ácido fúlvico na água para consumo.A ocorrência desta desordem limita-se a 13 províncias e duas regiões autônomas da China. Além disso, já foram relatadas casos na Sibéria e Coréia do Norte. Contudo, a incidência nestas últimas regiões diminuiu com o desenvolvimento socioeconômico das mesmas. Na China, estima-se que afete de 2 a 3 milhões de indivíduos.Em um determinado vilarejo chinês, as manifestações clínicas sugestivas desta desordem chegam a afetar 100% de indivíduos entre os 5 aos 15 anos de idade.As manifestações clínicas incluem:Nanismo, quando ocorre na infância ou adolescência, uma vez que acomete os discos epifisários, que são as zonas de crescimento dos ossos longos;Restrição de movimentos nas articulações afetadas, devido à dor;Dedos curtos e grossos;Pés achatados;Inchaço das articulações;Travamento das articulações ao longo do tempo;Nos adultos, normalmente afeta as articulações inferiores, como tornozelos e joelhos, resultando em dificuldade de caminhar.O diagnóstico é feito com base no histórico e quadro clínico, juntamente com exames de imagem, como radiografias das articulações.O tratamento desta doença é paliativo e podem abranger cirurgias ortopédicas corretivas e fisioterapia para aliviar os sintomas.Com relação à prevenção, a suplementação de selênio, com ou sem terapia antioxidante adicional (vitamina E e vitamina C) mostrou-se eficaz em alguns estudos. Contudo, a suplementação com selênio apresenta algumas dificuldades, como a logística, a potencial toxicidade, a deficiência de iodo associada e a baixa adesão.Já pensando na hipótese de a doença resultar de intoxicação por micotoxinas, foi proposto o armazenamento de grãos em uma área endêmica, porém os resultados não foram divulgados na literatura médica. No entanto, a mudança de grãos mostrou-se eficaz em uma província da Coréia do Norte.A mudança da água de consumo (para beber) para poços mais profundos tem sido tentada, apontando mudanças na detecção de alterações radiográficas.Fontes:http://en.wikipedia.org/wiki/Kashin%E2%80%93Beck_diseasehttp://www.ahealthstudy.com/diseases/kashin-beck-diseasehttp://www.chinadevelopmentbrief.com/dingo/Province/Tibet/1-43-0-127-0-0.html