Doença de Huntington Caçador SC

Informações sobre Doença de Huntington em Caçador. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Doença de Huntington e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Caçador.

Clínica Dr Bridi
(49) 3563-3031
Rua Campos Novos 665
Caçador, Santa Catarina
 
Cléber Roberto
(49) 3567-5077
Avenida Barão do Rio Branco 1260 s 26
Caçador, Santa Catarina
 
Daniel Silveira Gomes
(49) 3246-3455
Avenida João Marques Vieira 1012
Fraiburgo, Santa Catarina
 
Centro de Medicina Integrada
(49) 3566-1433
Rua Oswaldo Cruz 34
Videira, Santa Catarina
 
Dermo Clínica Mottecy
(49) 3533-1657
Rua Brasil 309 s 302
Videira, Santa Catarina
 
Suzana S S Rosa
(49) 3563-3576
Rua Benjamin Constant 70 ap 202
Caçador, Santa Catarina
 
Clínica Dr Miranda
(49) 3566-1323
Rua Veneriano Passos 213
Videira, Santa Catarina
 
Benitez Medicina Geral
(49) 3246-4743
Rua 7 de Setembro 109 ap 1
Fraiburgo, Santa Catarina
 
Centro Médico
(49) 3246-2283
Avenida João Marques Vieira 1012
Fraiburgo, Santa Catarina
 
Clínica Médica Doutor Josué de Carvalho
(49) 3566-1654
Rua Oswaldo Cruz 120 - 1 s 2
Videira, Santa Catarina
 

Doença de Huntington

A doença de Huntington, também chamada de “coréia de Huntington”, é uma doença degenerativa progressiva do sistema nervoso com padrão de herança autossômico dominante de penetrância completa. Deste modo, a progênie de um indivíduo afetado, possui 50% de probabilidade de apresentar a doença.Foi descrita pelo médico norte-americano George Huntington, em 1872, vindo dele o nome da afecção. Nas últimas décadas essa doença tem sido bastante estudada, sendo que o gene causador da doença (localizado próximo a extremidade telomérica do braço curto do cromossomo 4) foi descoberto em 1983, por meio da análise de ligações.Esta doença está presente em todo o mundo; contudo, em certas regiões, como, por exemplo, a região do Maracaibo, na Venezuela, apresenta uma elevada incidência. Nos Estados Unidos, estima-se que sua prevalência encontre-se entre 5 a 10 casos por 100.000 habitantes. A idade média do surgimento da doença é de 40 anos, apesar de já ter sido observada aos 2 anos de idade e aos 80 anos de idade.Os sinais clínicos mais comuns da doença são os movimentos involuntários (discinesia) dos braços, pernas e rosto, acometendo também aspectos da personalidade e habilidades mentais. Além desses sintomas, o paciente pode apresentar depressão, disartria, fala indistinta, dificuldade de mastigar e deglutir alimentos e perda da visão periférica.O diagnóstico baseia-se no quadro clínico característico e histórico familiar. O diagnóstico definitivo é feito apenas por meio de exame genético. Por meio de exames de imagem é possível notar alterações neuroanatômicas.O diagnóstico diferencial é bem amplo, incluindo enfermidades como a coréia familiar benigna, neuroacantocitose, atrofia dentatorubropalidolusiana (DRPLA), doença de Machado-Joseph (SCA-3), doenças priônicas e uma doença reconhecida recentemente chamada Huntington-like 2.Atualmente não há ainda um tratamento preventivo ou curativo para a doença de Huntington, sendo que este é apenas sintomático. O tratamento com certos fármacos, como bloqueadores dos receptores dopaminérgicos (fenotiazinas ou haloperidol), pode controlar os movimentos involuntários e alguns dos distúrbios comportamentais. No entanto, esses medicamentos podem induzir um quadro tardio de discinesia superposta ao distúrbio crônico, devendo ser utiliza apenas em situações absolutamente necessárias. Indica-se o tratamento dessa doença apenas em casos incapacitante, utilizando-se mínimas doses de algum desses medicamentos, em dias alternados. O uso de agentes antidepressivos e ansiolíticos pode ser benéfico para alguns pacientes.Leia mais:Doenças CerebraisFontes:http://pt.wikipedia.org/wiki/Doen%C3%A7a_de_Huntingtonhttp://www.ivdn.ufrj.br/kb_ivdn_v01_03_Doencas_11_huntington_01.htmhttp://www.saudeemmovimento.com.br/conteudos/conteudo_exibe.asp?cod_noticia=802http://apps.einstein.br/revista/arquivos/PDF/638-85-87.pdfhttp://www.manualmerck.net/?id=93&cn=876http://genetica.ufcspa.edu.br/seminarios%20textos/Huntignton.pdf