Doença de Fox-Fordyce Corrente PI

Informações sobre Doença de Fox-Fordyce em Corrente. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Doença de Fox-Fordyce e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Corrente.

Policlínica de Corrente
(89) 3573-1851
Avenida Desembargador Amaral 1675
Corrente, Piauí
 
Centro Médico Correntino
(89) 3573-1483
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Clínica Endografo
(86) 2106-7777
Rua Coelho Rodrigues 1938
Teresina, Piauí
 
Climecor
(89) 3573-1123
Rua Antônio Nogueira Carvalho 1147
Corrente, Piauí
 
Abilene Maria de Souza
(86) 3255-1221
Rua Hospital 115
Sigefredo Pacheco, Piauí
 
Climecor
(89) 3573-1123
Rua Antônio Nogueira Carvalho 1147
Corrente, Piauí
 
Hospital Estadual e Regional D
(89) 3573-1465
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Alice Aparecida Zoraia Alves Silva
(86) 3221-8464
Rua 1º de Maio 906
Teresina, Piauí
 
Diana Raimunda Alves de Sousa
(86) 3221-1869
Rua Olavo Bilac 1759 s 05
Teresina, Piauí
 
Centro Clínica Clínica Médica Fisioterápica
(86) 3321-2200
Avenida Presidente Vargas 650
Parnaíba, Piauí
 

Doença de Fox-Fordyce

A doença de Fox-Fordyce, também denominada miliária apócrina ou erupção pápulo pruriginosa crônica das axilas e púbis, é uma desordem caracterizada pela obstrução crônica dos ductos das glândulas sudoríparas apócrinas com uma resposta inflamatória secundária, não bacteriana, às células e detritos nos cistos.Foi descrita primeiramente no ano de 1902, por George Henry Fox e John Addison Fordyce e, até o momento, sua etiologia ainda não foi elucidada. O que é conhecido, é que esta condição decorre da obstrução do ducto sudoríparo apócrino na junção do folículo, resultando na ruptura deste mesmo ducto. Aparentemente há uma influência hormonal significativa, embora não tenham sido encontradas evidencias de desordem hormonal primária.As lesões são observadas especialmente nas glândulas sudoríparas, porém também pode ser encontrada nas regiões inframamária e pubiana. Podem apresentar-se de diferentes formas, com coloração avermelhada (que varia de tom), estando normalmente ausente a sudorese nas regiões afetadas. Folículos pilosos também podem ser afetados, podendo haver queda de pelo ou cabelo no local acometido.O diagnóstico é basicamente clínico, estabelecido por meio das manifestações clínicas.O tratamento consiste na ressecção cirúrgica do tecido contendo glândulas sudoríparas afetadas. Além disso, antibióticos podem ser utilizados, objetivando reduzir a resposta inflamatória. Anticoncepcionais orais, estrógenos tópicos, retinóides tópicos e orais, laser e imunomoduladores tópicos são outras opções de tratamento.Fontes:http://www.essex.ensino.eb.br/doc/PDF/PCC_2008_CFO_PDF/CD43%201%BA%20Ten%20Al%20GABRIELA%20MELLO%20DE%20S%C1.pdfhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Doen%C3%A7a_de_Fox-Fordycehttp://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0365-05962012000200029&script=sci_arttext