Disposofobia Corrente PI

Informações sobre Disposofobia em Corrente. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Disposofobia e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Corrente.

Centro Médico Correntino
(89) 3573-1483
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Policlínica de Corrente
(89) 3573-1851
Avenida Desembargador Amaral 1675
Corrente, Piauí
 
Clínica Médica São João
(86) 3233-6119
Rua Salomão Said 717
Teresina, Piauí
 
Clínica Santa Terezinha
(89) 3582-2914
Rua Aniceto Cavalcante
São Raimundo Nonato, Piauí
 
Renato Duarte Barbosa
(86) 3230-1311
Avenida Raul Lopes 1000 md 22
Teresina, Piauí
 
Climecor
(89) 3573-1123
Rua Antônio Nogueira Carvalho 1147
Corrente, Piauí
 
Hospital Estadual e Regional D
(89) 3573-1465
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Ccad - Clínica Cirúrgica Aparelho Digestivo
(86) 3221-4006
Rua Desembargador Pires de Castro 458
Teresina, Piauí
 
Novaclinica
(86) 3221-0259
Rua Coelho de Resende 500
Teresina, Piauí
 
Ceti
(86) 3212-1449
Avenida Teresina 392
Teresina, Piauí
 

Disposofobia

Disposofobia, também conhecida como acumulação, é o termo utilizado para definir a condição patológica que se caracteriza por compulsiva aquisição e acumulação de objetos, mesmo que os itens não tenham utilidade, sejam insalubres ou perigosos. Este transtorno mental resulta em impedimentos e danos consideráveis para as atividades cotidianas, como mover-se dentro da casa, cozinhar, limpar, dormir, utilizar o banheiro, dentre outros.A prevalência desta condição é de 2-5% nos adultos, sendo mais frequente em adultos mais velhos de ambos os sexos. Alguns fatores estão associados à disposofobia englobam o alcoolismo, traços paranoicos, esquizofrenia e transtorno obssessivo-compulsivo.As manifestações clínicas apresentadas por um paciente com disposofobia compreendem:Acumulação excessiva de objetos que para outras pessoas não apresentam valor, como lixo eletrônico, catálogos e jornais velhos, roupas que um dia poderão ser usadas, objetos estragados (como comida) e até mesmo lixo e fezes.Inutilização de partes da casa. Camas, cozinha ou banheiros podem estar inacessíveis devido ao grande acumulo de objetos.Sofrimento causado pela desordem, fazendo com que os pacientes com este transtorno não recebam visitas em casa ou que mantenham a mesma sempre trancada para que ninguém veja a bagunça existente em seu interior. Por outro lado, indivíduos com disposofobia não se importam em viver em locais extremamente desorganizados e congestionados, pois consideram que o importante é guardar tudo o que julgam ser necessário. Deste modo, a possibilidade de se desfazer de tudo o que foi acumulado gera grande sofrimento.Além dos problemas citados anteriormente, a acumulação compulsiva pode levar a doenças respiratórias, incêndio, infestação de pragas, dentre outros, podendo colocar a vida dos moradores em risco.O tratamento desta psicopatologia deve ser feito com um profissional especializado. Alguns pacientes respondem bem a intervenções psicofarmacológicas com antidepressivos. Além disso, também existe a opção de intervenções terapêuticas, como a terapia cognitivo-comportamental, que visa:Descobrir o fator desencadeante da acumulação compulsiva;Fazer com que o paciente aprenda a organizar suas posses e decidir o que deve ser descartado;Desenvolver a habilidade de tomadas de decisão;Desenvolver a habilidade de relaxar;Participar de terapia de grupo;Aceitar receber visitas periódicas em sua casa de um especialista para a manutenção de um estilo de vida saudável.Fontes:http://www.drbayma.com/voce-sabe-o-que-e-disposofobia/http://it.wikipedia.org/wiki/Disposofobiahttp://mais.uol.com.br/view/56ux87j3bori/disposofobia-04029C3872E4A13327?types=A&http://www.artigos.com/artigos/saude/saude-e-bem-estar/disposofobia-16200/artigo/http://en.wikipedia.org/wiki/Compulsive_hoarding