Discalculia Corrente PI

Informações sobre Discalculia em Corrente. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Discalculia e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Corrente.

Policlínica de Corrente
(89) 3573-1851
Avenida Desembargador Amaral 1675
Corrente, Piauí
 
Centro Médico Correntino
(89) 3573-1483
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Centro Diagnóstico Pat Cirurg Citopatologia S/c Ltda
(86) 3321-1955
Rua Riachuelo 760
Parnaíba, Piauí
 
Instituto de Neuro Ciências
(86) 3216-6656
Rua Bartolomeu Vasconcelos 2440
Teresina, Piauí
 
Ecoclínica
(86) 3221-9593
Rua Félix Pacheco 1716
Teresina, Piauí
 
Climecor
(89) 3573-1123
Rua Antônio Nogueira Carvalho 1147
Corrente, Piauí
 
Hospital Estadual e Regional D
(89) 3573-1465
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Espaço Complementar
(86) 3221-9875
Avenida Antonino Freire 1461 s 10
Teresina, Piauí
 
Ceti
(86) 3212-1449
Avenida Teresina 392
Teresina, Piauí
 
Clínica Medicina Física Picos
(89) 3422-3056
Avenida Nossa Senhora de Fátima 466
Picos, Piauí
 

Discalculia

O termo discalculia (palavra oriunda do grego e do latim, respectivamente: dis=mal; calculare=calcular) define uma condição na qual o indivíduo apresenta dificuldade de aprendizagem especificamente de manipular números.Este distúrbio afeta indivíduos de todas as idades e pode ser classificado como moderado, severo ou total.Ao contrário de outras dificuldades ligadas à linguagem, como a dislexia e a dispraxia, a condição em questão tem sido pouco estudada. Sabe-se que ocorre em indivíduos de qualquer nível de QI; todavia, os mesmos comumente apresentam dificuldade com matemática, tempo, medida, dentre outros. Hipóteses sugerem que a discalculia pode tratar-se de um distúrbio parcialmente hereditário.De acordo com Ladislav Kosc, existem seis tipos distintos de discalculia:Discalculia léxica: na qual o indivíduo apresenta dificuldade em ler símbolos matemáticos.Discalculia verbal: neste caso o paciente apresenta dificuldade em nomear quantidades matemáticas, números, termos e símbolos.Discalculia gráfica: problemas para escrever símbolos matemáticos.Discalculia operacional: dificuldade de realizar operações e cálculos numéricos.Discalculia practognóstica: dificuldade para enumerar, manipular e comparar objetos reais ou em imagens.Discalculia ideognóstica: dificuldade em realizar operações mentais, bem como para compreender conceitos matemáticos.Os portadores desta condição podem apresentar:Dificuldades constantes com números, confundindo as operações básicas (adição, subtração, multiplicação e divisão);Dificuldade para distinguir direito e esquerdo;Falta de senso de direção;Dificuldade com tabelas;Maior facilidade com os assuntos que necessitam de lógica, quando comparado aos assuntos que requerem fórmulas;Dificuldades em julgar a passagem do tempo e ler relógios analógicos;Ineficiência em compreender o planejamento financeiro ou incluir no orçamento;Dificuldade mental em julgar as dimensões de um objeto ou de uma distância;Falta de habilidade em mentalizar e recordar conceitos matemáticos, regras, fórmulas e sequencias matemáticas;Problemas para seguir a contagem durante jogos;Fobia de matemática ou números resultantes da condição.Para que o professor seja capaz de identificar a discalculia, o mesmo deve estar atento à trajetória de aprendizado do aluno, especialmente com relação ao aprendizado da matemática. O professor deve evitar:Frisar as dificuldades do aluno, diferenciando-o do restante da classe;Mostrar impaciência com a dificuldade da criança;Corrigir o aluno constantemente diante da turma;Ignorar a dificuldade da criança.Quando a desordem é identificada tardiamente, pode haver prejuízo do desenvolvimento escolar da criança, que pode tornar-se agressiva, apática ou desinteressada.Fontes:http://pt.wikipedia.org/wiki/Discalculiahttp://educamais.com/discalculia/http://www.crda.com.br/aulascrda/neurologia/jobair/discalculia.pdfhttp://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/2010/artigos_teses/MATEMATICA/Monografia_Silva.pdf