Coloboma Auris Corrente PI

Informações sobre Coloboma Auris em Corrente. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Coloboma Auris e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Corrente.

Climecor
(89) 3573-1123
Rua Antônio Nogueira Carvalho 1147
Corrente, Piauí
 
Centro Médico Correntino
(89) 3573-1483
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Clínica de Olhos Dr José Erivaldo
(86) 3322-1764
Avenida Presidente Vargas 385 s 01
Parnaíba, Piauí
 
Clinef
(86) 3262-1444
Rua Telesforo do Vale 270
Altos, Piauí
 
Unigastrus
(86) 3252-2063
Rua Benjamin Constant 1062
Campo Maior, Piauí
 
Policlínica de Corrente
(89) 3573-1851
Avenida Desembargador Amaral 1675
Corrente, Piauí
 
Hospital Estadual e Regional D
(89) 3573-1465
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Alice Aparecida Zoraia Alves Silva
(86) 3221-8464
Rua 1º de Maio 906
Teresina, Piauí
 
Clínica Ortopedia e Pediatria
(89) 3522-1990
Rua Fernando Drumont 614
Floriano, Piauí
 
Dermamed Clínica de Dermatologia de Cirurgia Plástica
(86) 3226-4122
Rua Governador Raimundo Artur de Vasconcelos 670 s 207
Teresina, Piauí
 

Coloboma Auris

O coloboma auris, também denominado fístula pré-auricular ou sinus pré-auricular, trata-se de uma malformação congênita, caracterizada por um diminuto orifício, habitualmente de formato oval, apresentando 1 a 2 mm no seu maior diâmetro, na margem anterior do ramo ascendente da região exterior do pavilhão auricular, que pode ser uni ou bilateral.Esta patologia foi descrita pela primeira vez por Heusingerl e Virchow, no ano de 1864, e resulta de um defeito no período da embriogênese.O aparelho branquial, estrutura transitória nos embriões de mamíferos, passa a ser evidente dentro da quarta semana, sendo concluído dentro da sexta a oitava semana de gestação. Este aparelho é composto por seis fendas branquiais e em torno da primeira surgem saliências que irão originar determinadas estruturas, que são elas: trágus, hélix, anti-hélix, anti-trágus e lóbulo da orelha. A ausência de fusão entre a primeira e a segunda saliência tipicamente levam à concepção de um orifício na pele, com migração das células pare seu interior, resultando no coloboma auris.Habitualmente, o paciente com coloboma auris apresenta manifestações clínicas discretas, exceto o orifício localizado na parte da frente da orelha. Todavia, pode haver infecção do coloboma, com consequente presença de rubor, hiperemia, aumento de volume do local, podendo, em certos casos, causar febre e presença de secreção esbranquiçada ou purulenta, de odor desagradável.O diagnóstico é feito exclusivamente por meio de exame clínico, que engloba histórico e exame físico, no qual o médico identifica o diminuto orifício de formato oval na região pré-auricular.Em casos de infecção do coloboma auris, é necessário fazer o uso de antibióticos para tratar a mesma e, caso haja necessidade, antiinflamatório e analgésico, até que o quadro regrida completamente.A única opção para o tratamento definitivo é a cirurgia, na qual o coloboma deve ser removido por completo para que não haja recidiva.Fontes:http://www.clinicalucano.com/otorrinoefono/colobomaauris.htm