Colangite Esclerosante Secundária Corrente PI

Informações sobre Colangite Esclerosante Secundária em Corrente. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Colangite Esclerosante Secundária e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Corrente.

Climecor
(89) 3573-1123
Rua Antônio Nogueira Carvalho 1147
Corrente, Piauí
 
Policlínica de Corrente
(89) 3573-1851
Avenida Desembargador Amaral 1675
Corrente, Piauí
 
Clínica Santa Isabel
(86) 3220-1717
Qd 144 - Cj Prq Piauí 5
Teresina, Piauí
 
Clínica de Habilitação do Trânsito
(86) 3218-2475
Avenida Miguel Rosa 6666
Teresina, Piauí
 
Gastromed
(86) 3223-7111
Rua Félix Pacheco 1788
Teresina, Piauí
 
Centro Médico Correntino
(89) 3573-1483
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Hospital Estadual e Regional D
(89) 3573-1465
Rua Antônio Nogueira Carvalho
Corrente, Piauí
 
Unidade de Diagnóstico Por Imagem
(86) 3226-2008
Rua Félix Pacheco 2241
Teresina, Piauí
 
Clínica Medicina Física Picos
(89) 3422-3056
Avenida Nossa Senhora de Fátima 466
Picos, Piauí
 
Instituto de Neuro Ciências
(86) 3216-6656
Rua Bartolomeu Vasconcelos 2440
Teresina, Piauí
 

Colangite Esclerosante Secundária

A colangite esclerosante secundária normalmente é causada por cálculos biliares, e menos frequentemente, pela presença de Ascaris lumbricoides, SIDA, coledococele (dilatação do colédoco de natureza congênita) ou por problemas na manipulação endoscópica da via biliar.Os cálculos biliares, que geralmente são produzidos e armazenas na vesícula biliar, podem encaminhar-se para o colédoco, causando sua obstrução parcial ou total.Geralmente os sintomas são febre, calafrios, icterícia, náuseas e dor abdominal.O diagnóstico é feito com base no histórico e quadro clínico do paciente. Para confirmar o diagnóstico, o médico deve solicitar exames de imagem, sendo que a ultra-sonografia é a mais utilizada. Por meio dela, é possível detectar a presença de cálculos na vesícula ou vias biliares, dilatação dos canais biliares e, em certos casos, tumor.O tratamento é feito por meio da desobstrução dos canais biliares por meio de coliangiografia endoscopia ou procedimento cirúrgico. Através da endoscopia, é possível remover cálculos e parasitas, e caso seja necessário, introduzir uma prótese no interior do colédoco para mantê-lo aberto.O recomendado é tratar a causa, removendo cirurgicamente a vesícula com cálculos, corrigindo obstruções congênitas ou pós-operatórias, ou ainda, retirar tumores.Fontes:http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?85http://pt.wikipedia.org/wiki/Colangitehttp://www.medicinageriatrica.com.br/2007/10/05/colangite-aguda/http://www.hepcentro.com.br/colangite_esclerosante.htmhttp://www.medstudents.com.br/original/revisao/cep/introd.htmhttp://www.scielo.br/pdf/rsbmt/v38n5/a15v38n5.pdf