Coccidiose ou Eimeriose Bagé, Rio Grande do Sul

Informações sobre Coccidiose ou Eimeriose em Bagé. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento de Coccidiose ou Eimeriose e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Bagé.

Ucm
(53) 3242-6400
Rua Carlos Mangabeira 307
Bagé, Rio Grande do Sul
 
Hospital Universitario Urcamp
(53) 3242-7433
Rua Flores da Cunha 169
Bagé, Rio Grande do Sul
 
Santa Casa de Caridade de Bage
(53) 3242-7022
Rua Gomes Carneiro 1350
Bagé, Rio Grande do Sul
 
Daniele Malaman
(53) 3241-6955
Gomes Carneiro 1343
Bage, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Ivan Paulo de Lima
(53) 242-9015
Av General Osorio 1086
Bage, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Clinica Lavoro Assistencia Medica e Consultoria S/c Ltda
(53) 3241-4464
Rua General Sampaio 277
Bagé, Rio Grande do Sul
 
Hospital de Guarnicao de Bage
(53) 3242-8911
Avenida Portugal 99
Bagé, Rio Grande do Sul
 
Flavia Ratto Scardoelli
(53) 3247-7391
R Marechal Deodoro 130
Bage, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Luiz Fernando Czermainski
(53) 3242-9900
Rua Salgado Filho 168
Bage, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Jorge Sune Grillo
(53) 3242-4144
Vereador Elpidio Ruiz 924 - 15
Bage, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Coccidiose ou Eimeriose

A eimeriose, ou coccidiose, como também é conhecida, é uma doença causada por um protozoário de ordem Coccidia, família Eimeriidae e gênero Eimeria. Este parasita ataca o epitélio digestivo, principalmente, de aves e ruminantes, levando à uma diarréia.Com relação às espécies que atacam ruminantes, são encontradas:HospedeiroParasitaBovinoE. bovis e E. zurerniiOvinoE. ahsata, E. bakuensis e E. ovinoidalisCaprinoE. arloingi, E. alijevi, E. hirci, E. christenseni e E. ninakolhyakimovaeEsta doença é responsável por grandes perdas econômicas relacionadas aos ruminantes, devido à elevada mortalidade e também pelo desempenho insatisfatório dos animais, e está distribuída por todo o Brasil. É conhecida também como “curso de sangue” ou diarréia vermelha, em decorrência da diarréia líquida e de coloração escura, de odor forte e que contêm muco e sangue. Ataca na maioria das vezes, animais jovens, podendo também atacar animais mais velhos em casos de propriedades onde há um manejo incorreto, ou onde os animais estão submetidos a estresse.TransmissãoA contaminação se dá pela ingestão de oocistos esporulados presentes na água ou nos alimentos contaminados com fezes de animais portadores do coccidio. Quando entram nas células intestinais, ocorre a reprodução assexuada e sexuada, causando uma destruição destas células e, quando este parasitismo é muito intenso, pode ocorrer destruição de áreas muito extensas do intestino, desprendimento de fragmentos de mucosa e até hemorragia. Isso fará com que haja um acúmulo de líquido na luz intestinal, que resultará em diarréia, podendo evoluir para choque e morte, devido ao desequilíbrio eletrolítico.SintomasOs sinais clínicos apresentados pelos ruminantes são: diarréia profusa sanguinolenta, desidratação, anorexia, letargia, alta mortalidade e redução do ganho de peso. Em casos de bezerros e ovinos parasitados pela E. zuernii, eles podem apresentar sintomas nervosos, já os caprinos, apresentam sede, sonolência e pêlos arrepiados.DiagnósticoO diagnóstico é feito através de uma boa anamnese, sendo observado manejo, sinais clínicos, lesões observadas na necropsia de animais mortos e, também, através de exame de fezes, mesmo estes não sendo muito confiáveis.TratamentoO tratamento é feito com uso de drogas. As mais usadas são: sulfas, amprólio, decoquinato, antibióticos ionóforos e toltrazuril. É necessário tratar também a desidratação e a falta de minerais causada pela perda de líquidos corporais, através da hidratação e reposição de eletrólitos, sendo que em animais pouco desidratados pode ser feita uma hidratação oral, já nos casos mais graves, deve ser feita uma hidratação intravenosa.ProfilaxiaPara prevenir a coccidiose devem ser adotadas medidas de manejo e higiene adequadas, limpando sempre comedouros e bebedouros, evitar uma superlotação dos pastos, separar os lotes por idade, pode também ser feito o uso preventivo de drogas anticoccídicas adicionadas a água e ração.Fontes:http://pt.wikipedia.org/wiki/Eimeriahttp://www.cnpgc.embrapa.br/publicacoes/divulga/GCD34.htmlhttp://www.rehagro.com.br/siterehagro/publicacao.do?cdnoticia=1132