Catapora São Luís, Maranhão

Informações sobre Catapora em São Luís. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Catapora e endereços e telefones de hospitais e clínicas em São Luís.

Icem - Instituto de Cirurgia e Endoscopia Maranhão
(98) 3232-3011
Tv dos Afogados 241
São Luís, Maranhão
 
Clínica Paulo Vi
(98) 3244-1717
Avenida Guajajaras 262 c C
São Luís, Maranhão
 
Centro Diagnóstico Gastroenterologia
(98) 3236-0669
Avenida Daniel de La Touche 150
São Luís, Maranhão
 
Igma - Instituto de Ginecologia Maranhão
(98) 3232-6733
Rua Frei Querubim 59
São Luís, Maranhão
 
Sogastro Clínica
(98) 2109-0431
Rua do Passeio 938
São Luís, Maranhão
 
Clínica Gênesis
(98) 3221-7016
Avenida Silva Maia, 163
São Luís, Maranhão
 
Sesi Clínica Bento Mendes
(98) 3221-3071
Avenida Kennedy
São Luís, Maranhão
 
Centro Medico Maranhense S/a
(98) 3219-8800
Rua Paulino Sousa 17
São Luís, Maranhão
 
Medicare
(98) 3223-2532
Rua São Vicente de Paula 188
São Luís, Maranhão
 
Cidep
(98) 3249-5005
Avenida dos Franceses 287 - 1
São Luís, Maranhão
 

Catapora

Apesar de já existirem formas de prevenir a catapora, ainda há casos de contaminação com o vírus, chamado varicela, responsável pela doença. É muito comum a doença surgir em épocas de chuvas, quando as pessoas se juntam freqüentemente em algum local fechado.A doença costuma atingir principalmente as crianças, no entanto como a transmissão se dá pelo ar, caso alguém que nunca teve catapora entre em contato com uma pessoa contaminada dificilmente não será infectado.Por ser altamente contagiosa são necessários alguns cuidados caso você tenha adquirido a doença:- Durante o período de chuvas evite manter contato em ambientes fechados com pessoas contaminadas pela doença.- Portadores de AIDS devem manter distância de pessoas com o vírus, pois serão fatalmente infectadas caso o façam.- Quem já adquiriu o vírus alguma vez na vida já desenvolveu anticorpos capazes de combater a doença, estando, portanto, fora de perigo de adquiri-la. Caso a pessoa tenha um sistema imunológico baixo, poderá adquirir uma nova doença caso mantenha contato com pessoas contaminadas pelo vírus.- Existe uma vacina, disponível em Brasília e em alguns centros de vacinação, que é responsável por prevenir a doença. Custa em média R$ 65,00 e pode ser aplicada em crianças a partir de um ano, em adolescentes e em adultos que nunca adquiriram a doença.- Crianças em fase escolar têm maior probabilidade de adquirir o vírus.Depois de ser infectada a pessoa passa entre 14 e 21 dias sem apresentar sintomas, é a fase de incubação. Após essa fase começam a aparecer pontinhos vermelhos pelo corpo, semelhantes a picadas de insetos. Nessa fase a doença costuma ser facilmente identificada. Após essa fase as manchas transformam-se em bolhas de água que podem aparecer em determinada parte do corpo ou em todo o corpo, inclusive nas mucosas da boca, nariz, olhos, etc. A doença incomoda, principalmente por causa das bolhas, manchas e da coceira, mas pode também apresentar febre ou dor de cabeça, o que exige que o doente se mantenha em repouso durante os primeiros dias da doença.Depois desse estágio vem o que a pessoa apresenta vários sinais pelo corpo, desde as manchas vermelhas, até as bolhas, feridas e crostas secas. Nessa fase há um risco muito grande de contaminação e por isso é necessário manter o doente isolado.Não é uma doença que se complique facilmente e o seu tratamento é simples, porém caso haja displicência nos cuidados com a doença ela pode apresentar algumas complicações como a pneumonia, quando o vírus se estende causando infecção nos pulmões, a infecção por alguma bactéria que causa a inflamação das bolhas, febre alta e recuperação mais demorada, e até mesmo uma inflamação no cérebro chamada encefalite que, caso não seja cuidada devidamente pode até levar à morte.Alguns cuidados como: cortar e limpar as unhas, nunca coçar as bolhas para evitar infecção e manchas, usar luvas durante o sono, tomar banho com maisena ou goma, usar talco, repousar, etc. Podem aliviar os sintomas e ajudar a apressar a recuperação. É imprescindível o acompanhamento de um médico e o cumprimento de todas as instruções dadas pelo mesmo. Não é aconselhável usar medicações sem a prescrição de um médico.