Câncer de vulva Gravataí, Rio Grande do Sul

Informações sobre Câncer de vulva em Gravataí. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento de Câncer de vulva e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Gravataí.

Antonio Fabiano Ferreira Filho
(51) 3346-4102
Rua Mostardeiro 291 - Sala 408
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Moacir Andrade
(51) 3330-3705
R Miguel Tostes 823
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Lauro Jose Gregianin
(51) 3333-7933
Olavo Bilac 805
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Marcelo Warlet Machado
(51) 3328-2035
Av Carlos Gomes 403 - Sl. 905
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Carlos Daniel Jaeger
(51) 3312-1233
Rua Felipe Camarao 688 - Cj. 302
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Ricardo Preger
(51) 3328-2035
Av Carlos Gomes 403 - Sl. 905
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Joao Ricardo Friedrisch
(51) 3333-7875
Alameda Eduardo Guimaraes 35
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Jalise Wolski de Oliveira
(51) 3333-8693
R Francisco Ferrer 441 - Sl. 201
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Gessie Anne Lopes
(51) 3023-8888
Rua Marechal Floriano Peixoto 450
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Virginia Ribas
513-3467
R Vinte e Quatro de Outubro 838 - Sl. 710
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Câncer de vulva

O câncer de vulva trata-se de uma rara neoplasia, que corresponde a menos de 1% dos tumores malignos das mulheres e responsável por 3% a 5% dos tumores malignos do aparelho genital feminino.Estima-se que esta patologia acometa 1 a 2 mulheres a cada 100.000 por ano, sendo mais frequente em mulheres acima dos 70 anos de idade.Histologicamente, o tipo mais comum é o carcinoma de células escamosas ou epidermóide, representando aproximadamente 90% dos tumores vulvares.Dentre os fatores de risco para o surgimento desta neoplasia estão:Irritações locais crônicas;Uso de substâncias cáusticas e abrasivas;Presença do Papilomavírus Humano (HPV).A principal manifestação clínica é o prurido vulvar, juntamente com ardência e dispareunia (dor durante a relação sexual). Quando o quadro já está avançado, podem surgir ulcerações com ou sem uma infecção secundária, que não cicatrizam e, habitualmente, não são dolorosas.O diagnóstico é feito durante o exame ginecológico, feito com o auxílio do colposcópio utilizando ácido acético a 5%, com cofirmação através da biópsia das lesões suspeitas.O tratamento do câncer de vulva abrange dois locais: a vulva e a região inguinal. Primeiramente é feita a remoção cirúrgica do tumor com margem de segurança. Por conseguinte, é feita a inspeção dos linfonodos inguinais para saber se eles foram acometidos pela neoplasia em questão. Nesses casos eles devem ser retirados cirurgicamente. A radioterapia também pode ser necessária antes ou após a remoção cirúrgica da neoplasia, dependendo do estágio em que a patologia se encontra.Fontes:http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?67http://www.fcm.unicamp.br/diretrizes/d_n_c/ca_vulva/ca_vulva_pag1.htmlhttp://www.cliquecontraocancer.com.br/paginas.cfm?id=69&p=cancer-de-vulva-http://www.projetodiretrizes.org.br/ans/diretrizes/cancer_de_vulva.pdf