Câncer de bexiga Castelo ES

Informações sobre Câncer de bexiga em Castelo. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento de Câncer de bexiga e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Castelo.

Paulo Roberto Brunoro Costa
(28) 3522-9910
Pc Jeronimo Monteiro 101
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Franklin Wilson Novaes
(28) 3522-4139
Av Francisco Lacerda de Aguiar 26
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Gastao Goncalves Coelho
(12) 2035-2207
R Antonio Caetano Goncalves 02
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Luiz Carlos Maciel
(28) 3522-6120
R Coronel Francisco de Braga 71 - Ed Itapoa
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Marcos Bastos Barbosa
Av Francisco Lacerda de Aguiar 10 - 306 Ed Paster
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Anderson Magalhaes Zerbone
(28) 3522-7688
Av Francisco Lacerda de Aguiar 10 - Ed Pasteur Sala 306
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Maria Eugenia de Azevedo
(28) 3522-1203
Av Pinheiro Junior 156 - Ed Sta Rosa
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Gilberto Dian de Almeida
(28) 3521-2024
R Antonio Caetano Gonçalves 02 - 55
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Joao Herminio Altoe Vargas
(81) 9035-2160
Av Francisco Lacerda de Aguiar 10 - Edf Pasteurs/204
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Carlos Eduardo Noronha Dutra
(28) 3522-8988
Av Rui Barbosa 55 - 2 Andar
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Câncer de bexiga

O câncer de bexiga ocorre quando células malignas se desenvolvem no revestimento deste órgão. Esta doença atinge mais os homens do que as mulheres. É mais comum em países desenvolvidos e representa 2% de todos os tipos de cânceres.Dentre os fatores que causam este tipo de neoplasia podemos destacar as seguintes:- Consumo de tabaco: as substâncias cancerígenas contidas na fumaça do cigarro vão dos pulmões para o sangue. Os rins filtram muitas destas substâncias, depositando-as na urina para posterior excreção. Calcula-se que a bexiga de um fumante de meio maço ao dia está em contato com substâncias cancerígenas 100% do tempo.- Exposição a substâncias tóxicas (durante o trabalho) como solventes, por exemplo, que entram no organismo através de inalação.- Esquistossomose: esta infecção produz uma irritação crônica na bexiga e, assim, pode provocar câncer.Não existe uma sintomatologia específica deste tipo de câncer, mas dentre os sintomas é comum a detecção de urina no sangue, dor durante a micção e também podem ocorrer sintomas obstrutivos, culminando com a incapacidade de urinar.Para diagnosticar a doença são necessários alguns exames, tais como: exame microscópico da urina: pode detectar a presença de células anormais; a ecografia abdominal: permite avaliar a presença de um tumor de bexiga, localizá-lo, mensurá-lo e verificar se existe alguma obstrução da bexiga; Tomografia computadorizada e citoscopia (introdução de um endoscópio, através da uretra, para visualizar o tumor e colher amostras de tecido).Há quatro formas de tratamento para este tipo de câncer, são elas:- Cirurgia – consiste em extrair, através de intervenção cirúrgica, o tumor da bexiga com diferentes técnicas possíveis (ressecção transuretral, processo no qual é introduzido, através da uretra, um equipamento que permite cortar o tumor ou queimá-lo, mantendo a bexiga e a maneira natural de urinar). cistectomia segmentada, onde parte da bexiga é extraída e cistectomia radical, quando a bexiga e os tecidos, ou, em alguns casos, órgãos ao redor são extraídos ).– Radioterapia;– Quimioterapia;– Terapia intravesical (quando são introduzidas pequenas doses de quimioterápicos no interior da bexiga mediante uma sonda).