Câncer de Testículo Catalão GO

Informações sobre Câncer de Testículo em Catalão. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento de Câncer de Testículo e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Catalão.

Antonio Jacome Neto
(62) 3441-2000
R Madre Esperança Garrido 63
Catalao, Goiás
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Leonardo Vieira Fernandes
Dr. Willian Faiad 19
Catalao, Goiás
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Divino Ferreira
(64) 3441-2657
R Augustoetto 11
Catalao, Goiás
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Maria Marcia de Queiroz
(62) 3212-7333
R 39 - 181 Hosp Araujo Jorge
Goiania, Goiás
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Orlando Milhomem da Mota
(62) 3225-3471
R 9 235 - Clin Sta Cecilia
Goiania, Goiás
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Clarimundo Matias da Silveira
(06) 4411-2211
Rua Dr. Willian Faiad 15
Catalao, Goiás
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Jose Roberto de Castro Lima
(06) 4441-2211
R. Dr. Willian Faid 15
Catalao, Goiás
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Djair Ayres
R. Dr. Willian Faiad 15
Catalao, Goiás
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Patricia Carneiro de Brito
Rua 239 - 181
Goiania, Goiás
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Sormany Del Carmo de a Cordeiro
(62) 3093-9662
R 0006 - a 72
Goiania, Goiás
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Câncer de Testículo

O câncer de testículo corresponde a aproximadamente 5% dos casos de câncer nos homem.Estima-se que esta neoplasia afete 3-5 indivíduos em cada 100 mil. É mais comumente observada em adultos brancos, entre os 20 aos 40 anos de idade, que estão em maior atividade sexual.São observados dois tipos de tumores testiculares malignos:Tumor germinativo não seminomatoso (mais agressivo);Tumor germinativo seminomatoso (crescimento mais lento).Além dos tipos citados anteriormente, também existe um terceiro grupo mais raro de ser encontrado, no qual estão inclusos os linfomas, sarcomas, tumor de Sertoli e de Leydig.Não se sabe a exata causa que leva ao câncer de testículo. No entanto, alguns fatores de risco são conhecidos, como a criptorquidia, algumas síndromes genéticas raras, traumas crônicos e histórico familiar da doença.A manifestação clínica mais comum é o surgimento de um nódulo duro no testículo (mais comumente no direito), normalmente indolor, apresentando aproximadamente o tamanho de uma ervilha. Alguns pacientes podem apresentar dor aguda, resultante de hemorragia interna nesse órgão. Com a evolução da doença e consequente metástase, o paciente pode apresentar tosse, dor nas costas e edema.Suspeita-se do diagnóstico durante o autoexame ou durante uma consulta médica de rotina. A melhor forma de confirmação é por meio da ultrassonografia. Outros exames podem auxiliar no diagnóstico e durante e após o tratamento, como a avaliação dos marcadores tumorais beta HCG, DHL e alfafetoproteína. Exames de imagem, como tomografia computadorizada da região pélvica e abdominal e radiografias devem ser feitas no período pós-operatório.O tumor deve ser removido cirurgicamente, devendo sair o resultado da biópsia durante a cirurgia. Quando o tumor é maligno, o testículo acometido é removido, procedimento que não afeta a função sexual ou reprodutiva do paciente, caso tenha o outro testículo normal. De acordo com o tipo do tumor, será estabelecido o melhor tratamento, que engloba quimioterapia, radioterapia ou controle clínico.Fontes:http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=342http://www.minhavida.com.br/saude/temas/cancer-de-testiculohttp://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/cancer-de-testiculo/