Câncer de Testículo Brasília, DF

Informações sobre Câncer de Testículo em Brasília. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento de Câncer de Testículo e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Brasília.

Maria Quiteria Cordeiro dos Santos
Shln Bloco Jsala 14 - Ed. Multiclinicas
Brasilia, DF
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Aleia Aparecida de Oliveira
335-1639
Cancerologia Ginecologia e Obstetrícia
Brasilia, DF
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Sergio Renato Pais Costa
(61) 3445-0268
Shls Lt C - hospital santa lúcia consultórios 8 e 25
Brasilia, DF
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Valdir Nunes de Sousa
344-5026
Cancerologia Ginecologia e Obstetrícia
Brasilia, DF
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Maria Celeste dos S Oliveira
324-5497
Brasilia, DF
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Silvio Carlos Duarte
(32) 457-7840
Cancerologia Ginecologia e Obstetrícia Mastologia
Brasilia, DF
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Jose Nilton Alves de Lima
Shls 716 - Torre Ii Sala 222 Centro Clinico Sul
Brasilia, DF
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Marcia Ayres da Motta Teodoro
(61) 3346-1842
Shls 716 Ed. C. Cl. Sul 1 - S 309
Brasilia, DF
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Valeska Marques de Menezes Machado
(61) 3315-1406
Shn Qd 605 L 2 - Norte
Brasilia, DF
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Alexander Jorge Saliba
(61) 3326-9242
Cln 204 Bloco C Número 51 - Sala 105
Brasilia, DF
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Câncer de Testículo

O câncer de testículo corresponde a aproximadamente 5% dos casos de câncer nos homem.Estima-se que esta neoplasia afete 3-5 indivíduos em cada 100 mil. É mais comumente observada em adultos brancos, entre os 20 aos 40 anos de idade, que estão em maior atividade sexual.São observados dois tipos de tumores testiculares malignos:Tumor germinativo não seminomatoso (mais agressivo);Tumor germinativo seminomatoso (crescimento mais lento).Além dos tipos citados anteriormente, também existe um terceiro grupo mais raro de ser encontrado, no qual estão inclusos os linfomas, sarcomas, tumor de Sertoli e de Leydig.Não se sabe a exata causa que leva ao câncer de testículo. No entanto, alguns fatores de risco são conhecidos, como a criptorquidia, algumas síndromes genéticas raras, traumas crônicos e histórico familiar da doença.A manifestação clínica mais comum é o surgimento de um nódulo duro no testículo (mais comumente no direito), normalmente indolor, apresentando aproximadamente o tamanho de uma ervilha. Alguns pacientes podem apresentar dor aguda, resultante de hemorragia interna nesse órgão. Com a evolução da doença e consequente metástase, o paciente pode apresentar tosse, dor nas costas e edema.Suspeita-se do diagnóstico durante o autoexame ou durante uma consulta médica de rotina. A melhor forma de confirmação é por meio da ultrassonografia. Outros exames podem auxiliar no diagnóstico e durante e após o tratamento, como a avaliação dos marcadores tumorais beta HCG, DHL e alfafetoproteína. Exames de imagem, como tomografia computadorizada da região pélvica e abdominal e radiografias devem ser feitas no período pós-operatório.O tumor deve ser removido cirurgicamente, devendo sair o resultado da biópsia durante a cirurgia. Quando o tumor é maligno, o testículo acometido é removido, procedimento que não afeta a função sexual ou reprodutiva do paciente, caso tenha o outro testículo normal. De acordo com o tipo do tumor, será estabelecido o melhor tratamento, que engloba quimioterapia, radioterapia ou controle clínico.Fontes:http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=342http://www.minhavida.com.br/saude/temas/cancer-de-testiculohttp://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/cancer-de-testiculo/