Câncer de Pênis Barcarena PA

Informações sobre Câncer de Pênis em Barcarena. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento de Câncer de Pênis e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Barcarena.

Marcelo Bandeira Coelho Dias
(91) 249-0555
Tv 14 - de Abril 1418
Belem, Pará
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Joao Sergio Fontes do Nascimento
914-0084
Tv Tres de Maio 1556 - 3ºAndar
Belem, Pará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Benedito Helio da Silva Queiroz
Av Duque de Caxias 762
Belem, Pará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Valter Santos
(91) 3229-0532
Rua dos Pariquis 3001 - Sala 1105
Belem, Pará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Adriana Kalume Serruya
(91) 3249-0811
Tv 14 - de Abril 1418
Belem, Pará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Elza Maria Rodrigues Viana
(91) 3229-8800
Av Governador Magalhaes Barata 695 - Sala 210
Belem, Pará
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Tania Mara Santos do Nascimento da Silva
913-2245
Av Conselheiro Furtado 2050
Belem, Pará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Fernando Antonio Martins
(91) 3236-4186
Av. Duque de Caxias 1540
Belem, Pará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Antonia Farid Queiroz Ribeiro
913-2248
Av Generalissimo Deodoro 868
Belem, Pará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Murilo de Sousa Morhy
(91) 229-6384
Av Gentil Bittencourt 2390
Belem, Pará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Câncer de Pênis

O câncer de pênis compreende uma neoplasia maligna que acomete homens, em especial, com idade superior a 40 anos (81,6%), brancos, de baixa renda e não circuncidados.Esta moléstia é rara e está relacionada com hábitos de higiene e de comportamento sexual. Deste modo, sua incidência pode ser significativamente reduzida por meio da educação da população. Pesquisas relacionaram o desenvolvimento do câncer de pênis com a presença da infecção pelo vírus HPV (papilomavírus humano).No Brasil, este tipo de câncer representa aproximadamente 2% da totalidade de neoplasias do homem e apresenta incidência 5 vezes mais elevada nos estados das regiões Norte e Nordeste, em relação a região Sul e Sudeste, chegando a ultrapassar, numericamente falando, as neoplasias de próstata e bexiga. Esta doença é responsável por aproximadamente 1.000 amputações anuais de pênis, no país.A suspeita do diagnóstico aparece em pacientes que apresentam histórico de úlceras penianas, que exalam forte odor de esmegma e que não responde a diferentes tipos de tratamentos. A confirmação é alcançada através da biópsia, na qual é feita a colheita de uma amostra do tecido acometido, e posterior análise laboratorial.Quando o diagnóstico é feito precocemente, existe tratamento e a cura pode ser alcançada com facilidade. Este, por sua vez, fica a critério do médico em função do estágio no qual a patologia se encontra. Pode ser realizado um tratamento local com radioterapia, cirurgia, amputação parcial ou total do órgão. A utilização da quimioterapia não é tão comum e irá depender da presença ou não de metástase e outras variáveis. Quando a metástase alcançar o sistema linfático, se faz necessária a remoção de linfonodos acometidos.Os tratamentos frequentemente não afetam a fertilidade do paciente, somente em casos de amputação do membro, tornando-o impotente.É importante que ao realizar a higiene íntima, o homem fique atento a alguns sinais:Perda de pigmentação ou manchas esbranquiçadas;Feridas e nódulos no pênis que não somem após tratamento médico e que apresentem secreções e mau odor;Tumorações no pênis e ou na virilha;Inflamação por longo tempo com vermelhidão e prurido (coceira), especialmente nos indivíduos não circuncidados;Fontes:http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3990&ReturnCatID=1746http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?62http://saude.abril.com.br/edicoes/0286/medicina/conteudo_239041.shtmlhttp://www.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/penis/deteccao_precocehttp://www.saude.ba.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=169&catid=3&Itemid=18