Atrofia Muscular Espinhal Manaus, Amazonas

Informações sobre Atrofia Muscular Espinhal em Manaus. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Atrofia Muscular Espinhal e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Manaus.

Cecard
(92) 3233-2196
Rua José Clemente 618
Manaus, Amazonas
 
Medical Norte Clin Med Labor
(92) 3644-5426
Avenida Autaz Mirim 5821
Manaus, Amazonas
 
Climed Clínica de Ginecologia e Obstetrícia
(92) 3232-6163
Avenida Joaquim Nabuco 2314
Manaus, Amazonas
 
Unicentro
(92) 3584-4586
Rua Rio Madeira 260
Manaus, Amazonas
 
Análises Clínica Zona Leste
(92) 3249-6128
Avenida Autaz Mirim 7
Manaus, Amazonas
 
José Carlos Esteves
(92) 3584-8794
Rua Acre 12 s 113
Manaus, Amazonas
 
Cristina Maria Mello Garcez
(92) 3584-1525
Rua Acre 12 s 210
Manaus, Amazonas
 
Centro Médico Salus
(92) 3307-0314
Avenida Rio Jutaí 8 qd 35
Manaus, Amazonas
 
Clínica do Pulmão
(92) 3234-7260
Rua Recife 762
Manaus, Amazonas
 
Cirurgia Torax de Manaus
(92) 3184-0780
Avenida Álvaro Maia 1445
Manaus, Amazonas
 

Atrofia Muscular Espinhal

A atrofia muscular espinhal (AME), também denominada amiotrofia muscular espinhal, consiste em uma patologia genética degenerativa, que afeta as células do corno anterior da medula, resultando em fraqueza e atrofia muscular caracterizada por problemas nos movimentos voluntários.Estima-se que a AME de início durante a infância afete 1 indivíduo para cada 10.000 nascidos vivos e, que se inicia na idade adulta, 1 para cada 100.000 nascidos vivos.Esta doença é genética de herança autossômica recessiva, ou seja, para que o filho seja portador da AME é preciso que ambos os pais portem o gene responsável pela desordem.Existem quatro tipos distintos da AME, que são:Tipo I, AME infantil ou doença de Werdnig-Hoffmann;Tipo II ou AME intermediária;Tipo III, AME juvenil ou doença de Kugelbert-Welander;Tipo IV ou AME adulta.Tipo I ou AME infantil (doença de Werdnig-Hoffmann)Esta forma da doença manifesta-se intra-útero ou durante os primeiros meses de vida. Trata-se da forma mais grave de AME, caracterizando-se, no feto, por movimentos fetais diminuídos, e no recém-nascido, por acometer desde as células do corno anterior da substância cinzenta da medula espinhal até o próprio músculo.Tipicamente, os pacientes não ultrapassam os três anos de vida, sendo a principal causa dos óbitos o comprometimento do desenvolvimento do sistema respiratório. Além disso, as crianças também apresentam dificuldade de sentar sem apoio, em decorrência da marcada fraqueza muscular distal e proximal, apresentando um afundamento do osso esterno.Outras manifestações incluem:Dificuldade de deglutição e sucção;Pernas mais fracas do que os braços;Aumento da suscetibilidade a infecções respiratórias;Acúmulo de secreções nos pulmões e garganta.Tipo II ou AME intermediáriaNeste tipo de AME os sintomas aparecem entre seis meses a dois anos de idade. As alterações são menos severas e a evolução do quadro é mais vagarosa. Algumas crianças chegam a permanecer sentadas, quando colocadas nessa posição e, em certos casos, podem até conseguir andar com apoio.Tipo III ou AME juvenil (doença de Kugelbert-Welander)As manifestações clínicas costumam surgir entre dois a 17 anos de idade, caracterizando-se pelo comprometimento dos membros superiores. O quadro não é tão grave e sua evolução é lenta. Algumas vezes os portadores necessitam de ajuda para se locomoverem ou para tarefas rotineiras. Pode ser necessário o uso de certos instrumentos que auxiliam na locomoção, como bengalas, muletas e, em poucos casos, cadeira de rodas.Tipo IV ou AME adultaÉ mais branda e afeta adultos entre 30 a 40 anos de idade. Evolui lentamente, apresentando de forma insidiosa para o total comprometimento muscular.O diagnóstico para esta doença é alcançado por meio de três exames:Eletromiografia, exame que mede a atividade elétrica do músculo;Biópsia muscular, na qual se observa degeneração da fibra muscular em diferentes estágios, bem como evidência histoquímica de desnervação;Estudo do DNA, feito com uma amostra de sangue, no qual é pesquisada a deleção do gene survival motor neuron. Quando a realização deste exame é possível, torna-se desnecessário realizar os outros dois anteriores.A forma de tratamento vai depender do tipo de AME apresentado pelo indivíduo. Normalmente os pacientes com AME utilizam respiradores e aparelhos que estimulam a tosse, para limpeza das vias aéreas. Além disso, é necessário adotar uma dieta balanceada, para manterem o peso controlado, evitando, assim, que o enfraquecimento muscular seja maior.Fontes:http://www.sarah.br/paginas/doencas/po/p_06_atrofia_muscu_espinhal.htmhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Amiotrofia_muscular_espinhalhttp://www.atrofiaespinhal.org/oque.php