Argiria Miguel Alves PI

Informações sobre Argiria em Miguel Alves. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Argiria e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Miguel Alves.

Hospital Pedro Vasconcelos
(86) 3244-1228
Avenida Desembargador Simplicio Mendes 576
Miguel Alves, Piauí
 
Fundacao Saude Assist C Neto
(98) 3473-1181
Rua Deputado Raimundo Bacelar
Coelho Neto, Maranhão
 
Hospital do Trabalhador Buritiense
(98) 3482-1158
Rua Antônio Pereira Mourão 84
Buriti, Maranhão
 
Centro Médico de Laudos e Exames
(86) 3221-5000
Rua Olavo Bilac 2240
Teresina, Piauí
 
Cendomed
(86) 3233-3540
Avenida Governador Gayoso Almendra 211
Teresina, Piauí
 
Hospital Presidente Medice
(98) 3474-1181
Rua Fernando Ferrari 52
Duque Bacelar, Maranhão
 
Casa de Saúde Maternidade Coelho Neto
(98) 3473-1419
Avenida Antônio Guimarães
Coelho Neto, Maranhão
 
Instituto de Neuro Ciências
(86) 3216-6656
Rua Bartolomeu Vasconcelos 2440
Teresina, Piauí
 
Clínica de Atendimento Médico Leão Xiii
(86) 3213-5000
Rua 24 de Janeiro 1930
Teresina, Piauí
 
Clínica Corpo
(86) 3221-2511
Rua Governador Raimundo Artur de Vasconcelos 670 s 904
Teresina, Piauí
 

Argiria

Denomina-se argiria uma doença caracterizada por causar a mudança de cor da pele e de certos órgãos, devido à exposição excessiva e prolongada a prata e aos sais de prata, seja através de contato com a pele, ingestão ou inalação.Desde a descoberta da prata na Pré-História, o metal se tornou um símbolo de decoração pessoal e ornamentação, por ser o mais branco de todos os metais e apresentar um poder de reflexão de luz elevado. Sua extração passou a ser constante desde sua descoberta, pois além de ser um metal claro e brilhante é um metal fácil de trabalhar devido a sua maleabilidade.O contato cada vez mais frequente de trabalhadores envolvidos na extração deste metal que diariamente era impregnado em suas peles e absorvido pela respiração, contribuiu para o aparecimento de doenças como a argiria em longo prazo. Esta anomalia de pele foi alvo de estudo e pesquisa do alemão Albers, o primeiro médico a estudar profundamente a argiria, no final do ano de 1700.A causa mais comum da doença é através da ingestão da prata ou de seus componentes. Houve uma época em que a ingestão de prata coloidal era vista como uma arma poderosa contra bactérias, germes, fungos e vírus e até hoje existem comerciantes que alegam que a prata coloidal é eficaz contra diversas doenças. No entanto a ingestão desta suspensão de partículas sub-microscópicas de prata metálica em uma base coloidal em longo prazo pode causar argiria cujo sintoma principal é a coloração azulada permanente da pele. Permanente porque infelizmente a argiria não tem cura, mas a terapia a laser tem sido usada para tratar o quadro com resultados estéticos satisfatórios.Um caso famoso de argiria foi do americano Paul Karason, que consumiu durante anos a prata coloidal exageradamente para tratar problemas como a dermatite. O resultado foi que a cor de Paul modificou ao longo dos anos e em 20 de dezembro de 2007 seu caso teve repercussão mundial.Paul Karason com a anomalia da pele (argiria). Ainda não foi descoberta a quantidade de prata necessária no organismo para produzir argiria. Por ser uma doença irreversível o paciente terá sua pele azulada para o resto da vida. A Agência de Substâncias Tóxicas e Registro de Doenças (ATSDR), localizada nos Estados Unidos, descreve a argiria não como sendo uma doença, mas sim como um problema cosmético, já que a anomalia não causa outros sintomas além da pele azulada. No entanto indivíduos com casos graves de argiria, por terem suas peles azuladas podem desenvolver depressão e ficarem confinados em suas residências pela vergonha do contato social.Fontes:http://pt.wikipedia.org/wiki/Argiriahttp://en.wikipedia.org/wiki/Argyriahttp://quackwatch.haaan.com/prata.html