Apendicite Aguda Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo

Informações sobre Apendicite Aguda em Cachoeiro de Itapemirim. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Apendicite Aguda e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Cachoeiro de Itapemirim.

Gastao Goncalves Coelho
(12) 2035-2207
R Antonio Caetano Goncalves 02
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Gilberto Dian de Almeida
(28) 3521-2024
R Antonio Caetano Gonçalves 02 - 55
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Joao Herminio Altoe Vargas
(81) 9035-2160
Av Francisco Lacerda de Aguiar 10 - Edf Pasteurs/204
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Gediao Cesar Seraphim
(28) 3522-8988
Av Rui Barbosa 55 - 2 Andar
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Luiz Carlos Maciel
(28) 3522-6120
R Coronel Francisco de Braga 71 - Ed Itapoa
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Maria Eugenia de Azevedo
(28) 3522-1203
Av Pinheiro Junior 156 - Ed Sta Rosa
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Carlos Eduardo Noronha Dutra
(28) 3522-8988
Av Rui Barbosa 55 - 2 Andar
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Franklin Wilson Novaes
(28) 3522-4139
Av Francisco Lacerda de Aguiar 26
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Marcos Bastos Barbosa
Av Francisco Lacerda de Aguiar 10 - 306 Ed Paster
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Marcos Bastos Barbosa
Av Francisco Lacerda de Aguiar 10 - 306 Ed Paster
Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Apendicite Aguda

Apendicite aguda é o nome dado à inflamação e a infecção do apêndice cecal. Esse último, por sua vez, é uma extensão do intestino grosso, que mede de 6 a 10 cm de comprimento. Esta afecção pode acontecer em indivíduos de todas as idades, mas é mais comum em adolescentes.A inflamação do apêndice pode ocorre em consequência de sua obstrução por fecalitos (fezes). Como resultado dessa obstrução, há a proliferação de bactérias nessa região, instalando-se um processo infeccioso, variando de leve a intenso, de acordo com o tempo que o tratamento demora a ser iniciado. Essa obstrução pode se dar também devido a parasitas intestinais, cálculos biliares ou aumento de volume de gânglios linfáticos locais.O sintoma característico da apendicite é uma dor abdominal generalizada, associada à perda de apetite e náuseas. Com a evolução do quadro, a dor se instala na região epigástrica (estômago), avançando para a região do umbigo, até atingir a região inferior e direita do abdômen. Nessa fase, podem ocorrer vômitos. Febre baixa também é comum, chegando até 38°C, elevando-se somente nos casos de supuração (perfuração do apêndice).Quando é realizado o exame físico no paciente, este sente dor à palpação na região inferior direita do abdômen, com frequente endurecimento da parede abdominal neste local. O peristaltismo intestinal fica mais lento, isso é percebido pela distensão abdominal, pela redução da eliminação das fezes e gases, e pela diminuição dos ruídos intestinais. Quando há a supuração, com contaminação de toda a cavidade abdominal com pus, o abdômen todo fica dolorido.O diagnóstico, primeiramente, é feito com base no quadro clínico do paciente e exames físicos realizados pelo médico. São feitos outros exames para a confirmação. No hemograma, a maioria dos pacientes com apendicite apresentam alterações, caracterizadas por uma leucocitose; o exame de urina também pode apresentar alterações, em consequência do contato com o apêndice inflamado com o ureter e a bexiga.Já com relação aos exames de imagem, o mais usado é a ultra-sonografia e a tomografia computadorizada da região abdominal. Estes exames evidenciam o espessamento do apêndice e a presença de pus na sua volta.O tratamento é cirúrgico, sendo realizada a retirada do apêndice (apendicectomia). Todavia, devido à infecção associada, todos os pacientes devem receber antibióticos, tanto antes da cirurgia, como após sua realização.Fontes:http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?31http://pt.wikipedia.org/wiki/Apendicitehttp://www.drfernandovalerio.com.br/apendicite_aguda.htm