Angina bolhosa hemorrágica Gravataí, Rio Grande do Sul

Informações sobre Angina bolhosa hemorrágica em Gravataí. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Angina bolhosa hemorrágica e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Gravataí.

Clinica Solaris
(51) 3488-5466
Rua Benjamin Constant 169
Gravataí, Rio Grande do Sul
 
Sandra Fagundes Nutriclin
(51) 3043-6114
Rua Anapio Gomes 1668 s 101
Gravataí, Rio Grande do Sul
 
Uniclinica
(51) 3042-4024
Rua Prefeito Ary Tubbs 665
Gravataí, Rio Grande do Sul
 
Paulo Ricardo Bobek
(51) 3484-1418
Rua Antônio R S Vargas 225
Gravataí, Rio Grande do Sul
 
Centromed Centro Médico Gravataí
(51) 3488-3444
Rua Doutor Luiz Bastos do Prado 1615
Gravataí, Rio Grande do Sul
 
Frank Ferraz Medicos do Trabalho Associados
(51) 3488-3691
Rua Carlos Linck 50 s 102
Gravataí, Rio Grande do Sul
 
Centro Clinico Gravatai
(51) 3484-8400
Avenida José Loureiro da Silva 1843
Gravataí, Rio Grande do Sul
 
Kellen K Silva
(51) 3431-0085
Rua Coronel Sarmento 1645 lj 1
Gravataí, Rio Grande do Sul
 
Clinica Medica Dr Eli
(51) 3497-7289
Rua Alexandrino de Alencar 1530
Gravataí, Rio Grande do Sul
 
Uniclinica
(51) 3042-4024
Rua Prefeito Ary Tubbs 665 - 8
Gravataí, Rio Grande do Sul
 

Angina bolhosa hemorrágica

A angina bolhosa hemorrágica (ABH) consiste em um distúrbio recorrente no qual surgem bolhas de sangue na cavidade oral, embora não haja nenhum distúrbio sistêmico.Esta afecção, que foi caracterizada primeiramente por Badham em 1967, possui etiologia desconhecida; todavia, sabe-se que esta desordem pode ser desencadeada por diminutos traumas, como, por exemplo, os ocorridos durante a alimentação ou tratamentos dentários. Além disso, a ABH pode estar relacionada ao uso prolongado de esteroides inaláveis, como provável consequência da atrofia epitelial.Aproximadamente 11% dos pacientes que apresentam ABH são diabéticos e alguns relatos apontam que pode haver um padrão hereditário para esta afecção. Todavia, ainda é necessário realizar mais estudos para corroboração de ambas as afirmações.A ABH acomete com maior frequência indivíduo adultos e idosos, sem apresentar predileção por etnia ou sexo.Habitualmente, as bolhas não causam dor e situam-se na transição entre o palato mole e o palato duro, porém também pode ser encontrados na mucosa oral, lábios, margem lateral da língua, epiglote, aritenóides, faringe e esôfago.Alguns pacientes apresentam bolhas solitárias no palato mole, enquanto outros apresentam múltiplas bolhas pequenas, que se apresentam em intervalos regulares ou irregulares.A manifestação clínica mais frequente é uma sensação de “pontada” na bolha, seguida por edemaciação do palato mole. Dependendo do volume da lesão, a mesma pode ocasionar a sensação de sufocamento (dispneia); todavia é incomum ocorrer obstrução das vias aéreas.As bolhas apresentam diâmetro que varia, podendo alcançar entre 3 cm a 4 cm. Apresenta crescimento rápido, rompendo-se após minutos ou algumas horas de seu surgimento, geralmente durante as refeições, levando ao extravasamento de seu conteúdo. O sangramento resultante do rompimento da bolha tipicamente conduz à cicatrização espontaneamente, sendo que a mesma ocorre dentro de 1 a 4 semanas.Deve-se realizar o diagnóstico diferencial para outras doenças bolhosas, como penfigóide de membrana mucosa, penfigóide bolhoso, líquen plano bolhoso e epidermólise bolhosa adquirida.O prognóstico da ABH é bom e normalmente é feito um tratamento paliativo. Muitas vezes são prescritos clorexidina para bochecho, visando prevenir infecções secundárias, e analgésicos. Contudo, de acordo com alguns pesquisadores, bolhas de sangue demasiadamente grandes deveriam ser incisadas como forma de prevenção para uma possível obstrução das vias aéreas.Fonte:http://revistas.unipar.br/akropolis/article/viewFile/1640/1419http://boasaude.uol.com.br/realce/showdoc.cfm?libdocid=14738&ReturnCatID=20035http://www.upf.br/site/download/editora/revistas/rfo/v15n3/14_v15n3_(300_303).pdf