Anemia Megaloblástica Boa Vista, Roraima

Informações sobre Anemia Megaloblástica em Boa Vista. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Anemia Megaloblástica e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Boa Vista.

Reis & Reis
(95) 224-1460
R Melvim Jones 43 - Sala a
Boa Vista, Roraima
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Francisco F de Farias Jr
(95) 224-4514
R Barreto Leite 214 - /2 Sala 1
Boa Vista, Roraima
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Hospital da Mulher
(95) 3224-1460
r Melvin Jones, 126
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital Unimed
(95) 3624-2231
av Glaycon Paiva, 1083 São Vicente
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital Lotty Íris Ltda
(95) 3224-1804
r José Coelho, 72 Centro
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Marilia Juliana Moreno Coelho Belmino
(95) 3265-5901
Av Mario Homem de Melho 3057
Boa Vista, Roraima
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Hospital Maternidade Nossa Senhora De Fátima
(95) 3626-2098
av Parma Jóquei Clube Centenário
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital Municipal Infantil Santo Antônio
(95) 3624-1684
av Guianas, 100 Calunga
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
HGR-Hospital Geral de Roraima
(95) 3623-8984
av Brg Eduardo Gomes, 3308
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Hospital estadual Materno-Infantil Nossa Senhora de Nazaré
(95) 3623-1818
r Pres Costa Silva, 950
Boa Vista, Roraima

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Anemia Megaloblástica

As vitaminas do complexo B desempenham importantes papéis na manutenção do organismo, como exemplo temos a cobalamina (ou vitamina B12) responsável, dentre outros, pela síntese de hemoglobina, e o ácido fólico (ou vitamina B9), que tem a função de ajudar na produção e manutenção de células novas e na síntese do DNA. A carência de tais vitaminas desencadeia um tipo de distúrbio denominado anemia megaloblástica.A anemia megaloblástica é caracterizada pelo tamanho anormal e imaturidade das hemácias, além da diminuição de leucócitos e plaquetas. No exame de sangue (hemograma) as células apresentam-se normocrômicas (coloração normal) e macrocíticas (tamanho aumentado).A deficiência de cobalamina pode estar relacionada à ingestão pobre dessa vitamina; dificuldade de absorção, como em casos de incapacidade das células parentais do estômago em secretar fator intrínseco (uma glicoproteína que se liga à vitamina B12 de modo a facilitar sua absorção) ou utilização inadequada, situações em que a cobalamina não é sintetizada. A falta de ácido fólico também pode estar relacionada à ingestão precária, má utilização, absorção ineficiente ou mesmo em casos de aumento da necessidade do organismo, como em gestações, fases de crescimento, entre outros.A sintomatologia inerente à anemia megaloblástica é muito parecida com os outros tipos de anemia, cansaço, palidez, taquicardia, diarréias, fraqueza. Esses sinais auxiliam muito no diagnóstico, que é feito através de exame de sangue.O tratamento da anemia megaloblástica depende muito da sua causa, assim, se o distúrbio é causado por baixa ingestão de vitaminas, por exemplo, o tratamento é feito através da inclusão dessas vitaminas à dieta. Além de ministrar as vitaminas B12 e B9, é válido também incluir na alimentação a vitamina C, pois ela tem a função de auxiliar na absorção do ferro.A vitamina B12 pode ser adquirida através do consumo de leite, vegetais verdes, carnes, peixes, ovos. Já o ácido fólico pode ser encontrado no feijão, em vegetais verdes folhosos, fígado, leveduras, etc.É muito comum se confundir anemia megaloblástica com anemia perniciosa. A anemia perniciosa é um tipo de anemia causada pela deficiência de vitamina B12 devido à inibição do fator intrínseco, sendo assim, uma das causas da anemia megaloblástica, e não a mesma patologia com denominação diferente.Referências Bibliográficas:CONTRAN, Ramzi S., KUMAR, Vinay, ROBBINS, Stanley. Patologia estrutural e funcional. Guanabara: Rio de Janeiro, 1986.LEHMAN, Dennis D., SACKEIM, George I. Química e Bioquímica para Ciências Biomédicas. Manole: Barueri: 2001.