Ambliopia Cruzeiro do Sul AC

Informações sobre Ambliopia em Cruzeiro do Sul. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Ambliopia e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Cruzeiro do Sul.

Leal & Lima Clínica Médica
(68) 3322-1044
Avenida 15 de Novembro 30 s 04
Cruzeiro do Sul, Acre
 
Clínica Médica Dr. Luís Fernando Scarano Miranda
(44) 3465-1531
Avenida Senador Souza Naves 416 s 02
Cruzeiro do Sul, Paraná
 
Hospital Geral de Cruzeiro do Sul
(68) 3322-5271
Rua Lauro Muller 355
Cruzeiro do Sul, Acre
 
Secretaria Municipal de Saúde
(44) 3465-1384
Rua Maria Conceição Mendes
Cruzeiro do Sul, Paraná
 
Hospital Municipal de Cruzeiro do Sul
(44) 3465-1507
Rua Maria Conceição Mendes
Cruzeiro do Sul, Paraná
 
Júlio Abel Seijas Chavez
(68) 3322-4761
Avenida 15 de Novembro 404
Cruzeiro do Sul, Acre
 
Hospital Geral Cruzeiro do Sul
(68) 3322-2327
Rua Lauro Muller 350
Cruzeiro do Sul, Acre
 
Obstetrícia e Ginecologia Carvalho Ltda
(68) 3322-6161
Rua Formoso 223
Cruzeiro do Sul, Acre
 
Hospital Sao Gabriel Arcanjo
(51) 3764-1133
Rua General Neto 192
Cruzeiro do Sul, Rio Grande do Sul
 
Unidade Mista de Saúde Rodrigues Alves
(68) 3342-1256
Avenida Presidente Juscelino 605
Rodrigues Alves, Acre
 

Ambliopia

O termo ambliopia (derivado do grego, onde “amblios” = fraco, embotado; “ops” = ação de ver, visão) e significa “visão fraca” ou “olho vago”.A ambliopia traduz-se em uma diminuição da acuidade visual produzida por um desenvolvimento anormal em idades precoces da vida, que não pode ser direta ou exclusivamente relacionada a anomalias oculares ou das vias ópticas. Mesmo que possa existir doença oftalmológica orgânica, esta é geralmente insuficiente para explicar o nível de visão.Vulgarmente denominada de “olho preguiçoso”, essa afecção pode variar de leve a severa, sendo normalmente unilateral, mas em raros casos, pode afetar ambos os olhos. Esta é a causa mais frequente de perda visual monocular durante a infância e em adultos jovens.Deve ser feita a diferenciação ente ambliopia funcional e ambliopia orgânica, sendo que esta última refere-se à baixa visão causada por anomalias estruturais do olho ou cérebro, tais como atrofia óptica, cicatrizes maculares ou anóxia cerebral que são independentes da estimulação sensorial. A ambliopia funcional tende a ser reversível quando tratada precocemente na infância, enquanto que a ambliopia orgânica não melhora.Estabelecem-se os seguintes tipos de ambliopia, que varia de acordo com a causa responsável pelo surgimento do problema:Ambliopia por estrabismo: ocorre quando há uma desarmonia entre os dois eixos visuais paralelos e esta alteração é perene. O estrabismo intermitente não leva à deficiência grave. A visão folveal do olho desviado será inferior à daquele que fixa normalmente pela mácula.Ambliopia por ametropia: é quando ocorre o impedimento da formação de uma imagem nítida, devido a erros refracionais significativos e não corrigidos em ambos os olhos, dificultando o pleno desenvolvimento da acuidade visual.Ambliopia por anisometropia: diferenças acima de 2,0 dioptrias entre os dois olhos, seja por miopia, hipermetropia ou astigmatismo, poderão resultar em uma interação binocular anormal, levando ao fenômeno de supressão na visão do olho mais ametrópico e sua conseqüente ambliopia.Ambliopia por privação (ou “ex-anopsia”): ocorre devido à existência de uma barreira à chegada da luz à retina em toda a sua intensidade, impedindo a formação de uma imagem bem definida. As causas podem ser leucoma corneano, catarata congênita uni ou bilateral, ptose palpebral, opacidades vítreas, hifema, dentre outras.O tratamento mais conhecido é a oclusão do olho de melhor visão, sendo que as ambliopias que não são tratadas até os 8 anos de idade são consideradas irreversíveis. O tempo de oclusão irá variar com a idade e do paciente e intensidade do problema.Fontes:http://pt.wikipedia.org/wiki/Ambliopiahttp://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?19http://www.oftalmopediatria.com.br/texto.php?cs=7http://www.antonioramalho.com/direscrita/ficheiros/AMBLIOPIA.pdfhttp://www.portaldaretina.com.br/home/doencas.asp?cod=2