Alergia ao Sêmen Sapé PB

Informações sobre Alergia ao Sêmen em Sapé. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Alergia ao Sêmen e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Sapé.

Policlínica Sape
(83) 3283-2702
Rua Comendador Renato R Coutinho 1163
Sapé, Paraíba
 
Clínica Itabaiana
(79) 3431-3237
Praça João Pessoa 316
Itabaiana, Sergipe
 
Policlin
(79) 3431-3230
Avenida Ivo Carvalho 258
Itabaiana, Sergipe
 
Semedi
(79) 3421-5000
Avenida 13 de Junho 695
Itabaiana, Sergipe
 
Clínica Santa Rita
(83) 3229-1140
Rua Francisco Gomes de Azevedo 2
Santa Rita, Paraíba
 
Climet - Clínica de Medicina de Tráfego Ltda
(79) 3431-8122
Rodovia BR-235 999 km 51
Itabaiana, Sergipe
 
Bioclínica
(79) 3432-9100
Avenida Ivo Carvalho 416
Itabaiana, Sergipe
 
Sono Clínica
(79) 3431-3197
Avenida Doutor Luís Magalhães 597
Itabaiana, Sergipe
 
Clínica Vitae
(79) 3431-3050
Rua Jackson Figueiredo 456
Itabaiana, Sergipe
 
Policlínica São Roque
(83) 3229-0400
Avenida Flávio Ribeiro Coutinho 264 ap 1
Santa Rita, Paraíba
 

Alergia ao Sêmen

A alergia ao sêmen, também chamada de alergia ao esperma ou, mais corretamente, hipersensibilidade seminal humana do plasma, consiste em uma reação alérgica ao sêmen em geral.Esta alergia resulta de uma má interpretação por parte do sistema imunológico. Quando o sêmen entra no organismo de um indivíduo alérgico, os leucócitos, células de defesa do organismo, identificam erroneamente as proteínas do sêmen como invasoras (como, por exemplo, bactérias e vírus) atacando-as.Esta condição é observada em maior proporção nas mulheres do que nos homens. Homens também podem desenvolver alergia ao próprio sêmen. Isso ocorre quando o sêmen deste indivíduo entra em contato com o seu próprio sangue, como, por exemplo, em uma vasectomia, torção testicular ou após uma infecção ou trauma.As manifestações clínicas deste tipo de alergia variam, sendo que alguns pacientes podem apresentar ardor, prurido, ou vermelhidão nos órgãos genitais. Também pode causar infertilidade temporária, pois os leucócitos impedem que os espermatozóides alcancem o óvulo. Contudo, pessoas que são alérgicas ao sêmen são capazes de gerar filhos.A melhor forma para diagnosticar esta patologia é por meio de um teste de alergia.Existem duas terapias sugeridas por especialistas. Uma delas consiste um realizar um teste de sensibilização do paciente à proteína, no qual uma diminuta amostra de sêmen do parceiro é colhida e envida para um laboratório encarregado de produzir um preparo líquido. O(a) parceiro(a) consome algumas gotas do preparo durante um certo período de tempo, e aos poucos, o organismo torna-se imune a esse tipo de alergia.Também existe a opção do indivíduo alérgico utilizar antialérgicos em forma de comprido ou spray, impedindo que a alergia surja durante o ato sexual; todavia, manifesta-se mais tarde.Contudo, a melhor solução por enquanto é por meio do uso de preservativo.Fontes:http://www1.unimed.com.br/nacional/bom_dia/saude_destaque.asp?nt=6113http://www.tuasaude.com/alergia-ao-semen/http://www.wellness.com/reference/allergies/semen-allergyhttp://www.rightdiagnosis.com/s/semen_allergy/intro.htm