Alcoolismo Ribeirão Preto, São Paulo

Informações sobre Alcoolismo em Ribeirão Preto. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento do Alcoolismo e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Ribeirão Preto.

Projeto Lsd
(16) 3628-7281
Rua Romano Coró 531
Ribeirão Preto, São Paulo
 
Reis Despachos Navais
(16) 3635-1496
Avenida Café 466 sl
Ribeirão Preto, São Paulo
 
Decio de Lima Pinho
Rua Altino Arantes 1728
Ribeirao Preto, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Jose Joao Silveira
R Joao Penteado 121
Ribeirao Preto, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Eulogio Corrales Vargas
Rua Olavo Bilac 836
Ribeirao Preto, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Maria Jurca Motta
(16) 3636-1473
Rua Américo Brasiliense 1702 s 3
Ribeirão Preto, São Paulo
 
Centro Assistência Social Fonte Elim
(16) 3638-6867
Estrada Rafael Defina 48 B
Ribeirão Preto, São Paulo
 
Maria Lucia D`Arbo Alves
Rua Altino Arantes 1682
Ribeirao Preto, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Andre Rodrigues Funayama
(16) 8119-9059
R Alvares de Azevedo 1488
Ribeirao Preto, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Milton Elmor Filho
Rua Ayrton Roxo 25
Ribeirao Preto, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Alcoolismo

O alcoolismo é definido como o consumo excessivo de álcool e/ou a preocupação exacerbada com bebidas alcoólicas ao ponto que este comportamento interfira na vida pessoal, familiar, social ou profissional de um indivíduo. Do ponto de vista médico, o alcoolismo é uma doença crônica, que pode resultar em condições psicológicas e fisiológicas e, por fim, na morte.Além da importância dos fatores ambientais, há evidências que indicam a existência de fatores genéticos que elevam o risco de desencadear a doença. O alcoolismo tende a acometer certas famílias com maior frequência, gêmeos univitelinos, e até filhos biológicos de pais alcoólatras que são adotados por casais que não bebem.De acordo com estatísticas realizadas pelos estadunidenses, acomete 14% de sua população, e no Brasil, estima-se que entre 10-20% da população sofra desse mal.O álcool atravessa a barreira hematoencefálica rapidamente, sendo que poucos minutos após o primeiro gole, a concentração no cérebro já está igual à concentração sanguínea. Em indivíduos que não possuem o costume de ingerir bebidas alcoólicas, níveis sanguíneos entre 50mg/dl a 150mg/dl são suficientes para gerar sintomas. Esses, por sua vez, irão depender da velocidade com que o álcool é consumido.Os efeitos físicos causados pelo álcool são:Redução dos reflexos;O uso a longo prazo eleva o risco do surgimento de doenças como câncer na cavidade oral, esôfago, faringe, fígado e vesícula biliar;Pode causar hepatite, cirrose, gastrite e úlcera;Quando usado em grandes quantidades pode ocasionar danos cerebrais irreversíveis;Pode levar à desnutrição;Pode causar problemas cardíacos e de pressão arterial;Durante a gestação, causa má formação fetal.Já os feitos psicológicos e comportamentais causados pelo álcool são:Perda da inibição;Alteração de humor, podendo ocasionar comportamento violento, depressão e até mesmo suicídio;Perda de memória;Problemas na vida familiar do alcoólatra;Queda no desempenho profissional.A tolerância e a dependência ao álcool são dois processos diferentes, mas que caminham juntos. A tolerância ao álcool é a necessidade de doses maiores para a manutenção do efeito de embriaguez obtido nas primeiras doses. Já a dependência é quando um indivíduo não apresenta mais forças por si mesmo de interromper ou reduzir o consumo de álcool. Não necessariamente uma pessoa que desenvolva tolerância ao álcool se tornará dependente. Todavia, à medida que o individuo desenvolve tolerância ao álcool, ela está mais próxima de desenvolver a dependência.O alcoólatra sempre acha que consegue parar quando quiser, na tentativa de encobrir o problema. O paciente tenta negar qualquer problema relacionado ao álcool, mesmo que ninguém acredite, mas ele acaba por acreditar na ilusão que criou. A negação do alcoolismo é uma defesa de auto-imagem, pois fazer que uma pessoa admita essa doença é exigir dela uma forte quebra de auto-imagem e conseqüentemente de auto-estima.Os tratamentos para o alcoolismo são muito variados, que procura ajudar as pessoas a diminuir o consumo de álcool, seguido por um treinamento de suporte social de modo que ajude a pessoa a resistir ao retorno do consumo dessa droga. Um exemplo para esse tipo de tratamento é a desintoxicação seguida por um conjunto de terapia de suporte, atendimento em grupos de auto-ajuda (como os Alcoólicos Anônimos), etc.Fontes:http://www.psicosite.com.br/tra/drg/alcoolismo.htmhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Alcoolismohttp://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?16http://www.drauziovarella.com.br/ExibirConteudo/355/alcoolismo