Acne Gravataí, Rio Grande do Sul

Informações sobre Acne em Gravataí. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento da Acne e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Gravataí.

Paulo Roberto Aguiar Delia
(53) 3222-8452
R Mal Floriano 174 - 407
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Walmor Bonatto
514-7259
R Tiradentes 381 - Sl. 410
Canoas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Leticia Krause Schenato
(54) 3261-1606
Rua Pinheiro Machado 20 - 44
Farroupilha, Rio Grande do Sul
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Marcio Luiz Deves
(53) 3221-4200
Av. Duque de Caxias 77
Pelotas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Clause Mara Dutra Goellner
(51) 3268-9001
Pedro de Oliveira Bittencourt 217 - a
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Edemar Lorenzini
(51) 3472-4738
Rua 15 - de Janeiro 193 503
Canoas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Levonir Belmiro Schweig
(51) 3472-6254
Rua 15 - de Janeiro 373 Sl 1402
Canoas, Rio Grande do Sul
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Marlene Liane Hinnah
(51) 3473-4003
Rua dos Ferroviarios 119 - Cj. 701
Esteio, Rio Grande do Sul
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Augusto Cesar Fontoura Bopp
(51) 3224-4204
Rua dos Andradas 1742 - Conj 701
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Leticia Fanck Emer
(51) 3233-0599
R Jose de Alencar 521 - Sl. 507
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Acne

Acne é uma dermatose, uma doença de pele causada pela intensificação na produção dos hormônios sexuais, no período da puberdade principalmente. Trata-se de uma doença de predisposição genética.Com o aumento nos níveis de hormônios, as glândulas sebáceas passam a produzir mais sebo. O excesso de sebo e a obstrução do folículo polissebático possibilitam a formação dos comedões que podem ser abertos (cravos pretos) ou fechados (cravos brancos). A partir dos comedões podem surgir diversos tipos de lesões.Os cravos abertos passam por um processo de oxidação do sebo que está em contato com o ar. Por isso as pontinhas pretas.O acúmulo do sebo propicia a inflamação desses comedões, normalmente pela bactéria Propionibacterium acnes.Quando inflamam os comedões fechados, estes aumentam, atingindo até 4 milímetros, ficam muito doloridos e de cor avermelhada. Esse tipo de lesão é chamada de pápula.Quando evolui, a lesão apresenta uma elevação cutânea cheia de pus, que apresenta dor e coceira. A essa lesão chamamos de pústula.Lesões profundas que são cobertas por pele normal também inflamam, deixando inclusive cicatrizes. Essas lesões são chamadas de nódulos.As regiões mais afetadas pela doença são onde existem as maiores concentrações de glândulas sebáceas como o rosto e o tronco.As cicatrizes que são consequência das acnes podem ser atróficas, hipertróficas ou quelóides, e apresentar características diversas.Não se pode pensar em cura para a acne, pois essa é resultado de uma série de eventos. O que existe são tratamentos que diminuem a incidência das lesões e melhoram ou extinguem as marcas e cicatrizes. Os profissionais responsáveis pelo tratamento da acne são os dermatologistas.A acne tem efeitos psicológicos, uma vez que a maioria dos indivíduos afetados são adolescentes. As lesões diminuem a auto-estima dos jovens, podendo inclusive levar a um quadro de depressão. Nesses casos cabe um apoio psicológico.Os tratamentos existentes podem ser orais ou tópicos. Os tratamentos orais são baseados na ingestão via oral de medicamentos como:- Retinóides orais (isotretinoína, ácido retinóico), hormônios femininos (somente para mulheres), antibióticos (eritromicina e ácido fusídico).Os tratamentos tópicos (não orais), são:- Limpeza ou esfoliação da pele, aplicação de retinóides ou de antibióticos por meio de loções e/ou pomadas.Apesar da maioria dos casos de acne ocorrerem na puberdade, as lesões podem aparecer durante toda a vida, com menor intensidade.