AIDS na Adolescência Barbalha CE

Informações sobre AIDS na Adolescência em Barbalha. Encontre aqui médicos especialistas, dicas de prevenção, onde fazer diagnóstico e tratamento de AIDS na Adolescência e endereços e telefones de hospitais e clínicas em Barbalha.

Hospital Marechal Rondon
(67) 3251-1131
Avenida 11 de Dezembro 414
Jardim, Mato Grosso do Sul
 
Jacio Berardo Sampaio
Rua Pe. Cicero 968
Juazeiro Do Norte, Ceará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Francisco Jose Sales de Siqueira
Edward Mclain 440 - 4º Andar
Juazeiro Do Norte, Ceará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Gualter Matos Cardoso de Alencar
Rua Padre Cicero Km 02
Juazeiro Do Norte, Ceará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Elizabeth Bernardo de Oliveira
Rua Padre Cicero 759
Juazeiro Do Norte, Ceará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Francisco Danubio Alves Pinto
Rua Sao Jose 805
Juazeiro Do Norte, Ceará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Edmilson Albuquerque Gouveia
(88) 3511-5297
Rua Padre Cícero 696
Juazeiro Do Norte, Ceará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Jose Goncalves Sobrinho
R Pedro Felipe Cavalcante 1954
Juazeiro Do Norte, Ceará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Eduardo Teixeira Lopes
511-0669
Rua Sao Francisco 314
Juazeiro Do Norte, Ceará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Maria Selma Lins Tavares Bezerra
Rua Padre Cicero 759
Juazeiro Do Norte, Ceará
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

AIDS na Adolescência

Em todo o mundo, nos últimos anos, tem crescido o número de ocorrência de AIDS entre adolescentes, em dados referentes a novas infecções essa faixa etária tem superado a população adulta. Em média, cerca de 50% dos novos casos de AIDS ocorrem em jovens de 15 a 24 anos.Grande parte dos infectados está na faixa dos 20 anos. Entre os jovens infectados, as mulheres representam a metade de todo o grupo. Mulheres acima de 13 anos são infectadas por transmissão sexual e por uso de drogas injetáveis.Entre os homens, a transmissão predominante ocorre pelo ato sexual, o contágio homossexual representa 30 % dos casos, e o uso de drogas injetáveis 20%.Analisando o comportamento dos adolescentes, verifica-se que os traços comportamentais, socioeconômicos e biológicos expõem esse grupo mais facilmente ao HIV. Nos adolescentes, a atividade sexual inicia, muitas vezes, sem cuidados como o uso da camisinha.O fato de não usar a camisinha pode ser causado pelo abuso de álcool e drogas. Quando o adolescente inicia um namoro “firme” cria-se o hábito de dispensar o preservativo na crença da fidelidade entre o casal.Para a sociedade, a camisinha é defendida pelas organizações de saúde como uma prova de amor e cuidado consigo mesmo e com o próximo, para as meninas não usar o preservativo gera um sentimento de medo de serem renegadas ou maltratadas pelos seus parceiros.Acredita-se que a iniciação sexual prematura e a falta de cuidados entre os adolescentes esteja ligada aos apelos eróticos e facilidades apresentadas pelos veículos de comunicação. A televisão e a internet expõem imagens e opiniões que geram padrões de comportamento sexual e de consumo nos adolescentes.Esse padrão escapa da tradição cultural de uma determinada região e indica ao jovem que o sexo é algo comum, que todo mundo faz de todos os jeitos e livres de doenças, num processo de educação sexual informal.Biologicamente, as mulheres jovens possuem fatores que facilitam a infecção. As meninas possuem células imaturas na cavidade vaginal e no colo do útero que não defendem o organismo contra a infecção, como ocorre nas mulheres mais maduras. Os homens mais novos possuem a capacidade de realizar o ato sexual com maior frequência e dessa forma ficar mais suscetível ao vírus.O adolescente soropositivo, na maioria dos casos, convive com outros jovens e em seu meio social se vê obrigado a restringir aspirações e necessidades para manutenção de seu tratamento. A vida sexual e afetiva para o adolescente infectado com a AIDS passa a ser vista de maneira limitante, assim como considera ser um desperdício investir em planos de longo prazo referentes a estudos, profissão e tratamento.Leia também:Métodos AnticoncepcionaisAIDS em IdososFontes:http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3867&ReturnCatID=1802http://www.fm.usp.br/gdc/docs/preventivaextensao^Manual_Adolescentes_HIV.pdf